Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

A morte faz-me sempre repensar a vida!

FIM.jpg

 

Uma das vantagens de avançarmos na idade é a serenidade com que encaramos as coisas e a aceitação do que antes era inaceitável. Amadurecer, ganhar rugas e entrar na "época" dos "entas" traz-nos muita certeza no que somos, no que que queremos e naquilo que estamos ou não dispostos a viver. Há quem diga que com a idade se perde força eu acredito que envelhecer nos torna mais fortes, na presença mas principalmente na ausência.

 

Envelhecer é também despedirmos-nos daqueles que vão partindo antes de nós. É lidar com a morte e somar perdas.  Falar de morte é sentirmos falta dos que se vão ausentando e revolta pelos que partem cedo de mais. Temos medo temos muito medo.  De um modo geral aceitamos a morte quando a consideramos natural, ou melhor, quando na vida seguimos o percurso natural que nos leva à morte. Essa é fácil. Essa é muito mais fácil de aceitar. Vivemos e morremos velhinhos já quando todos estão à espera que morramos.

 

Tramado é quando a morte se antecipa á vida que nos propomos viver. Tramado é quando a morte aparece sorrateira e num ápice nos retira peças que tinham tudo para continuar a jogar. Falar de morte faz-me sempre questionar a vida. Falar de morte faz-me sempre questionar caminhos, vontades e escolhas. Normalmente, perante a morte nasce em mim uma grande vontade de avançar perante aquilo que está parado, de escolher na indecisão, de mudar aquilo que tem de ser mudado e de questionar aquilo que nunca se questiona.

 

Avançar na vida é também avançar na perda daqueles que partem de forma inesperada quando a morte se antecipa à vida. Abanam-se as crenças. Abanamos a cabeça em sinal de negação e os mais afoitos permitem-se até chorar. Injusto quando alguns partem fora de tempo mas mais injusto é impedirmo-nos de viver aquilo que sabemos merecer, porque um dia, meus caros, o herói morre e o filme acaba!

 

A morte faz-me sempre repensar a vida!

 

Não deixes que o mundo te mude se não estás satisfeit@ muda-o tu!

palavras.png

 

 

O que me seduziu nestas áreas de desenvolvimento pessoal foi consciencializar-me de que somos seres únicos, com características únicas e por  conseguinte é dentro de nós que vivem todas as respostas e todos os recursos para que possamos criar e viver a vida que merecemos. É nisto que acredito e é isto que me move diariamente enquanto mulher, mãe e eu mesma! Treinar pessoas a descobrir tudo isto dentro delas tem um valor inigualável.

 

Acredito seriamente que cada um de nós tem a capacidade de fazer mais e melhor desde que se disponibilize para um processo de autoconhecimento e auto desenvolvimento. Acredito que quando o fazemos nos tornamos pessoas melhores e mais alinhadas connosco e consequentemente com os outros.

 

Acredito que cresço como mãe quando partilho e aprendo com outras mães. Acredito que cresço como pessoa quando me permito vivenciar outros seres e outros estares. Acredito que cresço como profissional quando me permito crescer, aprender e acompanhar outros profissionais da minha área.  Acredito que na nossa diferença podemos fazer igual e sempre melhor.

 

Confunde-me a competição desmedida num mundo onde se apregoa a mudança e a evolução. Confundem-me, sempre, os que agem de forma incongruente com aquilo que apregoam. Deve ser por isso que admiro os outros, aqueles que nos olham como membros da tribo!

 

Eu sei que talvez te tenham dito que o mundo é difícil, que tenhas tido experiencias  que te deixaram  com dúvidas e que te tenhas cruzado com pessoas menos simpáticas. Eu sei que talvez sintas necessidade de agradar aos outros para seres aceite e para que gostem de ti. Eu sei que o mundo por vezes parece ingrato mas peço-te apenas uma coisa: não deixes que o mundo te mude se não estás satisfeit@ muda-o tu! 

 

Seja qual for a profissão que desempenhes, sejas quem fores lembra-te que o mundo só fica melhor se cooperares mais e competires menos!

E-mail Coaching

images (6).jpg

 

O e-mail coaching é uma forma flexível, fácil de usar e muito acessível para todos os clientes. Este serviço está disponível como um apoio adicional ao coaching telefone / Skype ou como um serviço autónomo.

 

Vantagens do E-mail Coaching :

  • Ideal para aqueles que preferem escrever do que falar e como a escrita é uma forma de terapia adaptamos aqui o útil ao agradável;
  • Um e-mail pode ser enviado a qualquer hora e eu comprometo-me a responder no máximo até 48 horas depois;
  • Ideal para quem gosta de ver e rever o que escreve e o que pensa;
  • Os e-mails ficam guardados e sempre acessíveis. Óptimo para quem gosta de relembrar de modo a perceber a evolução que teve e tem.
  • Muito fácil de usar e assim acabam-se as desculpas.

 

Atenção:

  • Cada resposta minha é personalizada e adaptada ao contexto e ás necessidades do cliente;
  • Todas as respostas vão incluir exercícios e/ou sugestões de leitura/visionamento;
  • Todas as perguntas têm uma resposta.


Este trabalho envolve compromisso, acção e envolvimento entre os dois: Coach e Coachee e está sujeito a um acordo entre os dois que será assinado no início dos trabalhos.

 

Planeamento:

 

1) Definição das suas necessidades;

2) Identificação de pontos fortes e talentos;

3) Identificação de esperanças e sonhos;

4) identificação de necessidades e pontos fortes;

5) transformação de sonhos em objectivos;

6) Elaboração de um Plano de Vida.


Este trabalho envolve compromisso, acção e envolvimento entre os dois: Coach e Coachee e está sujeito a um acordo entre os dois que será assinado no início dos trabalhos.

 

Se este serviço  não lhe servir a si lembre-se daqueles que o rodeiam e que podem precisar. O mundo fica mais bonito quando damos e recebemos!

 

 

 

 

 

A felicidade treina-se, sabias?

APRENDE A SER FELIZ.png

 

Queres saber uma coisa? sinto vontade de voltar a ser criança. Vontade de regressar à idade onde os sonhos não eram condicionados e onde o mundo era tudo o que quiséssemos que fosse. Tenho vontade de ser a super mulher e salvar todos os que estão em apuros, tenho vontade de ser uma heroína e ter a certeza de que nada nem ninguém me pode destruir. Tenho vontade de correr descalça pela rua, molhar-me nas poças de água e, sentir que posso ser quem sou.

 

Queres saber uma coisa? Tenho vontade de voltar a ser inocente, vontade de voltar a acreditar, vontade de voltar a viver sem medos, receios ou fantasmas. Tenho vontade de poder abraçar, vontade de poder chorar, vontade de poder fazer birra. Tenho até vontade de ser exigente, de ser o centro das atenções, vontade de ser aquela que todos mimam,  vontade de ser aquela de quem todos cuidam.

 

Queres saber uma coisa? Tenho saudades de brincadeiras inocentes, de promessas para toda uma vida, de pactos de amizade. Existem aqueles dias em que começo a lembrar-me de rostos, de aventuras, de nomes e de peripécias. Relembro, riu-me e sorrio por brincadeiras de crianças, pelas vontades de “sermos grandes”, pelos planos do que iríamos fazer e do que queríamos ser. Lembro-me exactamente de todos aqueles que me foram mais chegados, lembro-me de braços partidos, de joelhos esfolados, de desesperos de mães, de castigos e tabefes. Lembro-me de promessas de amor onde éramos príncipes e princesas e íamos viver felizes para sempre, lembro de primeiros namoros cheios de seriedade e de certezas. Lembro-me de clubes onde éramos poderosos e cheios de importância, lembro-me de sabermos quem éramos mas sobretudo de sabermos quem queríamos ser. 

 

Queres saber uma coisa? Sei que nunca me importei com cores, raças ou religiões. Sei, também,  que nunca me importei com riqueza ou pobreza, estatuto ou posição social. Agora que penso no assunto sei que tive sorte em viver o que vivi e crescer como cresci. Agora que penso no assunto sei que tive sorte em viver como todas as crianças deviam viver, fui amada e mimada, tive amigos, corri pelos campos e tive direito a sonhar. Acredito que viver na serenidade e na segurança faz com que sejamos serenos e seguros mais tarde. Penso nas vezes que também  á chuva e das vezes que alguém me protegeu da mesma. 

 

Penso que de vez enquanto todos nós adultos devíamos poder recuar no tempo. Reviver momentos com emoção mas sem pressão, reviver momentos com vontades mas sem proibições, reviver momentos com entusiasmo sem medos, fantasmas ou castrações.

 

Queres saber uma coisa? Aposto que se insistisses em ser feliz o teu mundo seria muito mais interessante! A felicidade treina-se, sabias?

 

 

Inspiração e Motivação

1794760_591274837613638_739809749_n.jpg

 

Há momentos que tenho a sensação que vivemos em plena montanha russa. O mundo acelerou tanto que o grau de exigência para connosco é cada vez maior. Queremos estar em tudo e muitas vezes não estamos em nada. Queremos saber tudo mas somos tão metralhados com informação e contra-informação que acabamos por não saber nada. Procuramos seguir regras e esquecemo-nos de que as regras somos nós que as fazemos.

Queres melhorar a tua vida? Os teus relacionamentos? A tua carreira? O teu sorriso? Melhora-te a ti e vais ver que tudo o resto vem por acréscimo:

 

  • Permite-te chorar, esquece a velha crença de que chorar é coisas de meninas ou de gente fraca. As emoções fazem parte de nós e se as rejeitas estás a rejeitar parte de ti;

 

  • Permite-te errar. É do erro que nasce a aprendizagem e só erra quem se ateve a viver;

 

  • Uma vez por semana faz alguma coisa por outro, não interessa se é velhinho, cãozinho ou mesmo gatinho. Não interessa a cor, a raça ou área geográfica onde reside. O que interessa é que estás a fazer alguma coisa por outro;

 

  • Faz sempre por ti e não esperes a validação de todos. Faças o que fizeres, vai haver sempre alguém que não vai gostar;

 

  • Sê tu mesmo. Aceita-te nos defeitos e nas virtudes. Abraça-te nas impossibilidades e nas desilusões e agradece-te por seres quem és.

 

  • Coloca-te no lugar do outro, percebe a história onde vive e talvez percebas a história que vos une.

 

  • Trata o outro sempre como gostavas que te tratassem a ti. Se todos o fizéssemos o mundo estaria muito mais colorido.

 

  • Apaga preocupações e antecipa planos. A única coisa certa que temos nesta vida é a morte e ela não avisa para chegar.

 

  • Ri muito e Ri bem alto. Deixa de te preocupar com o que os outros pensam ou dizem. Eles são apenas outros.

 

  • Abraça especialmente aqueles que não estão á espera de serem abraçados. A reacção é fantástica e a expressão impagável;

 

  • Defende aquilo que te faz sentido mesmo que isso implique defenderes caracóis. Tomar posições a favor é sempre melhor do que estares sempre do contra;

 

  • Come o que te apetece. Tens o direito de escolher o tipo de alimentação com que mais te identificas. O teu organismo agradece e a tua mente também;

 

  • Aceita a imperfeição porque pelo que consta a perfeição não é coisa deste mundo;

 

  • Permite-te viver. E não esperes que te diga como porque isso só a ti diz respeito.

 

  • Acredita em ti. Não te esforces muito acredita apenas.

 

  • Do que escrevi escolhe o que te faz sentido e o que não faz manda fora. A vida é feita de escolhas e deves escolher apenas o que te serve mesmo que tenha sido eu a escrever.

 

Marta Leal

O Cofre

Como-Fazer-um-Cofre-Abrir-300x300.jpg

 

Contaram-me que o dia era daqueles dias cheios de sol. A claridade incidia sobre o negro do pavimento e nas pedras da calçada, outrora colocadas por quem conhece o ofício. Contaram-me que o céu, nesse dia, estava de um azul intenso, tão intenso que parecia ter sido pincelado por um qualquer pintor cioso do seu trabalho. Contaram-me que as casas foram todas cuidadosamente caiadas de branco, os jardins primorosamente arranjados, as flores pareciam saber que algo se passava porque desabrocharam nesse dia como se, também elas, tivessem recebido convite para comparecerem à festa. 

 

O vento agreste, constante por essas bandas, transformou-se em aragem. O frio que se fazia sentir nesta época do ano desapareceu como que por milagre e deu lugar a um dia ameno. Ao cheiro a calor, a jardins cuidados, a flores despertas, juntava-se também o odor a comida, onde as sobremesas se misturam com o prato principal e onde isso não faz qualquer diferença, a não ser aos mais gulosos. 

 

Contaram-me, mas eu também me lembro, que ao fundo conseguiam ouvir-se os murmúrios de quem fazia os últimos preparativos para que nada faltasse e nada corresse mal. Lembro-me, especialmente de espreitar pela janela do meu quarto e pensar que não se via ninguém. Lembro-me de me ter questionado se o mundo ia acabar porque era assim que me tinham contado que ia ser. Que um dia as pessoas iam desaparecer uma a uma, que em vez de vozes passaria a existir silêncio e que quando menos déssemos por isso o mundo transformar-se-ia num local onde imperavam as coisas e deixavam de existir as pessoas. Contaram-me e, com a idade de 6 anos, eu acreditava no que me contavam.

 

Enquanto era vestido pela minha mãe, ela, perante a minha insistência, foi-me explicando o que iria acontecer. Explicou-me que era dia de S. Nunca. Contou-me que era um dia único e que só daí a muitos, muitos anos é que voltaria a acontecer. Contou-me que os que passassem por esse dia iriam ser pessoas de sorte para vida e com via plena. Contou-me também que hoje tudo era permitido. Que hoje era o dia. Aquele onde tudo pode ser pensado, ser pedido e ser sonhado. 

 

Lembro-me dos habitantes da aldeia se terem reunido na praça principal. Estavam lá todos os que viviam na minha aldeia. A Dona Balbina da padaria, com o seu cabelo louro cor de sol, tão armado que ela parecia ter crescido uns centímetros. O Senhor Manuel da Mercearia, com a sua camisa aos quadrados e o seu bigode que se via ter sido aparado. A Maria da taberna, sempre com as suas roupas vistosas e o decote generoso. O senhor João dos Camiões, com aquele ar sempre distante e meio altivo. Agora que penso nisso, lembro-me particularmente da Dona Georgina, a velha alcoviteira, sempre vestida de preto, cabelo branco preso em carrapito, com a sua carteira debaixo do braço. O que não esqueço é aquele olhar mortal, de ódio a tudo e a todos.

 

Desculpem, perdi-me em imagens de infância quando o que queria era contar-vos efectivamente o que aconteceu. Dizia eu que nos reunimos todos na praça principal. A praça estava toda engalanada com bandeiras, flores, luzes e outro sem número de decorações que eu nem me atrevo a descrever, tal era o mau gosto da coisa. Ao fundo estavam as mesas postas com toalhas brancas, flores de plástico a decorar e louça trazida de casa de uns e outros. No centro da praça encontrava-se o Doutor, o nosso médico, veterinário e também muito ilustre Presidente da Junta de Freguesia. Fora ele que tomara a iniciativa, fora ele que nos convocara e fora ele que tomara a decisão. Perto dele encontrava-se o famoso cofre de S. Nunca. 

 

E o que é o cofre do S. Nunca, devem-se estar a perguntar todos vocês. E porquê todo este aparato? E porque está uma aldeia toda reunida à volta de um cofre? Ora eu passo a explicar. Conta a lenda que o Dia de S. Nunca só aparece quando o S. Nunca assim o deseja. Reza a história que nesse dia todos os desejos, sonhos, vontades e planos devem ser cuidadosamente colocados nesse cofre para que possam ser realizados. Diz-se também que nesses dias se deve festejar como Nunca se festejou, comer como Nunca se comeu, viver como Nunca se viveu, e ser como Nunca se foi.

 

Naquele dia de S. Nunca à tarde, todos os habitantes colocaram, um a um, os seus pensamentos naquele cofre místico. Depois, seguindo a lenda, comeram até não caber mais nada, cantaram até lhes faltar a voz, dançaram até cair para o lado, abriram corações, choraram-se magoas, abraçaram-se inimigos, confessaram-se segredos inconfessáveis, sempre como se não existisse amanhã.  

 

Os habitantes nunca mais foram os mesmos, a aldeia transformou-se da noite para o dia e o dia de S. Nunca foi e será sempre o dia em que tudo foi permitido. Existiram coisas de que me lembro e existem coisas que me contaram. O tempo fez-me perder a exactidão do momento, o sentir da situação e a importância de ter estado ali e ter vivido o que vivi.

 

Voltei há uns dias para a aldeia. Voltei para a aldeia para beber dos sonhos e das vontades que percebi ter perdido enquanto crescia. E enquanto caminhava pelas ruas e os dias foram passando, percebi que o dia de S. Nunca é já recordado por poucos, até porque o cofre desapareceu de forma misteriosa. Um dia estava lá e no outro não estava. Com ele desapareceram desejos e vontades, virtudes e defeitos, amores e desamores, sonhos e realidades, autenticidades e vulnerabilidades. Com ele desapareceram os seres, os quereres, os sorrisos ….

 

E Tu ? Tens cuidado do teu cofre?

Felicidade Imposta ou Felicidade Sentida?

images 1.jpg

 

Confesso! Eu confesso que existem aqueles dias em que tenho a sensação que o mundo enlouqueceu e que nos estamos a tornar autómatos desprovidos de sensações, sentimentos e emoções. Trabalhando com a mente conheço a capacidade que todos temos de fazer diferente e fazer melhor. Também sei que posso, facilmente,  alterar o meu estado emocional e todo o meu estar. Mas será que o devo fazer sempre? Será que tenho o direito de impor ao meu ser aquilo que não estou a sentir?

 

Acredito que vivenciar as emoções é importante. Acredito que permitirmo-nos sentir raiva, ódio, amor, tristeza, dor e frustração é permitirmo-nos viver. Acredito que chorar nunca fez mal a ninguém e que aprender a secar as lágrimas faz parte de um processo todo ele de aprendizagem. Impormos a nós mesmos uma felicidade que não sentimos é no mínimo violento. 

 

Mais do que impor é necessário sentir, apenas sentir!

 

Estuda-te, conhece-te e aprende-te. 

 

Formações em Formato E-Learning

As formações em formato e-learning são feitas em parceria com o portal Webstudy

 

Life-Coaching

Todos os formandos que atingirem os objetivos pedagógicos definidos para o curso que frequentaram, obterão um Certificado de Formação Profissional que será emitido através da Plataforma SIGO (GEPE – Ministério da Educação), tal como previsto na Portaria nº 474/2010, de 8 de Julho. O Certificado será, posteriormente, enviado pelos CTT – Correios de Portugal, num prazo máximo de 30 dias úteis, após lançamento da nota do curso na pauta de avaliação final.

 

Coaching Parental

Todos os formandos que atingirem os objetivos pedagógicos definidos para o curso que frequentaram, obterão um Certificado de Formação Profissional que será emitido através da Plataforma SIGO (GEPE – Ministério da Educação), tal como previsto na Portaria nº 474/2010, de 8 de Julho. O Certificado será, posteriormente, enviado pelos CTT – Correios de Portugal, num prazo máximo de 30 dias úteis, após lançamento da nota do curso na pauta de avaliação final.

 

Coaching na educação

Todos os formandos que atingirem os objetivos pedagógicos definidos para o curso que frequentaram, obterão um Certificado de Formação Profissional que será emitido através da Plataforma SIGO (GEPE – Ministério da Educação), tal como previsto na Portaria nº 474/2010, de 8 de Julho. O Certificado será, posteriormente, enviado pelos CTT – Correios de Portugal, num prazo máximo de 30 dias úteis, após lançamento da nota do curso na pauta de avaliação final.

 

Pós-Graduação em Coaching

Todos os formandos que atingirem os objetivos pedagógicos definidos para a pós-graduação que frequentaram, obterão um Certificado de Formação Profissional que será emitido através da Plataforma SIGO (GEPE – Ministério da Educação), tal como previsto na Portaria nº 474/2010, de 8 de Julho. O Certificado será, posteriormente, enviado pelos CTT – Correios de Portugal, num prazo máximo de 30 dias úteis, após lançamento da nota da pós-graduação na pauta de avaliação final.

Este certificado é válido para a obtenção de créditos (ECTS), na candidatura a um Mestrado ou Doutoramento, ao abrigo do Tratado de Bolonha (artigo 45.º do Decreto-Lei n.º 74/2006, alterado pelo Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de Junho).

 

Coaching + 50

Todos os formandos que atingirem os objetivos pedagógicos definidos para o curso que frequentaram, obterão um Certificado de Formação Profissional que será emitido através da Plataforma SIGO (GEPE – Ministério da Educação), tal como previsto na Portaria nº 474/2010, de 8 de Julho. O Certificado será, posteriormente, enviado pelos CTT – Correios de Portugal, num prazo máximo de 30 dias úteis, após lançamento da nota do curso na pauta de avaliação final.

 

Coaching + PNL

Todos os formandos que atingirem os objetivos pedagógicos definidos para o curso que frequentaram, obterão um Certificado de Formação Profissional que será emitido através da Plataforma SIGO (GEPE – Ministério da Educação), tal como previsto na Portaria nº 474/2010, de 8 de Julho. O Certificado será, posteriormente, enviado pelos CTT – Correios de Portugal, num prazo máximo de 30 dias úteis, após lançamento da nota do curso na pauta de avaliação final.

 

Retiros de Envolvimento Pessoal - Des"envolve-te"

1.png

 Este retiro tem como objectivo principal o envolvimento connosco e com os outros. Perceber quem somos e quem queremos ser é uma oportunidade para desenvolvermos mais calma, serenidade, sensibilidade e clareza de forma a viver um dia a dia de sonho.

 

A próxima edição será em Setembro.

 

Programa:

 

11 de Setembro de 2015

20.00-23.00

Acolhimento e Envolvimento

 

12 de Setembro de 2015

10.00-18.00

Quem sou e Quem Quero ser

 

13 de Setembro de 2015

10.00-16.00

O que vou fazer para lá chegar

 

Valores:

50€ inscrição

350€ Para inscrições feitas até 1 de Agosto;

400€ para inscrições fetas até 6 de Setembro

 

Local:

A confirmar - zona de Leiria, Fátima

 

O programa detalhado será enviado durante o mês de Agosto aos inscritos e as actividades decorrerão em sala fechada e ar libre.

Existe a possibilidade do pagamento ser feito de forma parcelada eos preços incluem estadia e alimentação.

 

Mais informações: martaleal@outlook.pt