Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Melhora o teu poder de concentração

Um dos maiores desafios dos nossos dias está em conseguir mantermos o foco. Aqui fica um exercicio que te vai permitir começares a concentrar-te  e a melhorares o teu poder de concentração. Sugiro que o faças em locais diferentes.
1) Senta-te num lugar reservado e onde sabes que não vais ser incomodado(a);
2) Escuta o que ouves na tua (vento, o cão a ladrar, a chuva, ou passos na calçada...);
3) Agora escuta o que ouves no edificio onde estás (a janela a bater, vozes ao longe...);
4) Agora escuta o que ouves na sala onde estás;
5) Agora escuta-te a ti, o teu respirar e  o teu batimento cardiaco.
Focado(a)?

E sempre que o amor acaba

 

Quando apaixonados vivemos os primeiros sorrisos e os primeiros momentos como se não existisse amanhã. E de facto não existe amanhã para quem está apaixonado porque o amanhã é de expectativa constante. As borboletas no estômago, os sorrisos mais ou menos idiotas, a excitação daquele encontro, os primeiros toques, os primeiros beijos e as primeiras envolvências. Tão lindo que é o amor. Tão fantástico que é aquele(a) por quem nos apaixonamos. Movemos montanhas e derrubamos tudo e todos aqueles que se atreverem a se oporem. Encontrámos a alma gémea e não queremos saber de mais nada.

 

Confunde-me portanto que aquando de uma ruptura se faça exactamente o contrário. Passamos de bestiais a bestas. Transformam-se erros e enganos em monstruosidades dignas de condenação eterna. Transformam-se as borboletas em úlceras nervosas e os violinos em marchas fúnebres. Estamos magoados e magoamos sem dó nem piedade. A nossa alma gémea transforma-se em alma negra sendo para isso necessário denegrir, abater, desconsiderar. Num vale tudo, esquecem-se os momentos vividos, as promessas feitas e a confiança sentida. Revelam-se segredos de alcofa. Acrescentam-se pormenores sórdidos e a necessidade de aprovação externa é tão grande que acredito perdermos a noção de quem somos e o que dizemos. 

 

Espanta-me no mais comum dos mortais e espanta-me muito mais naqueles que são figuras públicas. Espanta-me a sordidez de quem procura noticias e espanta-me a fúria de quem as dá. Pare-se por momento e reflicta-se. As palavras ferem, magoam e são apagadores reais de bons momentos vividos. As palavras ferem e magoam não só os que as dizem mas todos aqueles que estão envolvidos na questão. As palavras ficam enquanto os bons momentos se esvanecem. Será que o Manuel e a Bárbara têm a noção de que tudo o que disserem pode ser lido e, quem sabe, visto pelos filhos?

 

Um grande amor, quando termina, merece terminar como começou: com respeito, dignidade e equilíbrio porque, afinal, ninguém é obrigado a estar quando não quer ou quando não lhe faz sentido. E como alguém tão sabiamente canta “ninguém é de ninguém”.

Desafio meu, desafio meu

 

 

Chamemo-los de  desafios porque pessoalmente não gosto da palavra problema. Encare-se os desafios  de frente e entenda-se que apenas servem para encontrarmos soluções e crescermos numa vida que nada mais é do que um caminho para a aprendizagem e para o cumprir de uma missão nossa, só nossa.

 

Quando aceitarmos os desafios como degraus para atingirmos aquilo que tanto ansiamos vamos sorrir-lhes em vez de nos lamentarmos.

 

Os meus fizeram que hoje continue assim muito mãe, muito mulher mas sobretudo eu mesma. E tu o que é que vais fazer com os teus?

A Cerca

"Era uma vez um menino que tinha um temperamento muito forte. Um dia o seu pai deu-lhe um saco de pregos, dizendo-lhe que cada vez que ele ficasse furioso pregasse um prego na cerca do fundo da casa.

No primeiro dia o garoto pregou 37 pregos, mas gradualmente foi-se acalmando. Descobriu que era mais fácil "dominar" o seu temperamento do que pregar os pregos na cerca.

Finalmente chegou o dia em que o menino não se enfureceu nenhuma vez. Contou ao pai o que tinha acontecido e o pai sugeriu-lhe que, de agora em diante por cada dia que conseguisse dominar o seu temperamento retirasse um dos 37 pregos.

Passou-se o tempo e o menino  finalmente pode dizer ao pai que tinha retirado todos os pregos.

O pai deu-lhe a mão e levou-o até a cerca dizendo-lhe:

- Fizeste  muito bem meu filho, mas a cerca nunca mais será a mesma. Quando dizes coisas quando estás furioso, elas deixam uma cicatriz assim como as marcas na cerca.  Não importa quantas vezes possas pedir desculpa, a ferida  permanecerá. Uma ferida verbal é tão má como uma ferida física. Amigos são uma jóia muito rara. Eles fazem-nos sorrir e estimulam-nos a termos sucesso. Eles emprestam-nos um ouvido amigo, repartem uma palavra de elogio,  e querem sempre abrir os seus corações para nós."

Autor Anónimo

 

E tu como tens a tua cerca? EU? Continuo assim muito mãe muito mulher, mas sobretudo eu mesma

 

Pergunta aquilo que queres perguntar

 

 

Um consultório prático onde se fala de assuntos comuns, pessoas comuns e vidas comuns. Partilha, pergunta e dá o mote para a crónica seguinte ( martaleal_lifecoach@sapo.pt). A tua partilha nunca será divulgada, a não ser que assim o desejes,  mas o teu desafio e o teu exemplo podem ser o tema da próxima crónica, até porque as tuas experiencias podem ser a motivação de outros.

 

Por aqui continuo muito mãe, muito mulher e muito eu mesma.

Inspira e Motiva

 

Um consultório prático onde se fala de assuntos comuns, pessoas comuns e vidas comuns. Partilha, pergunta e dá o mote para a crónica seguinte ( martaleal_lifecoach@sapo.pt). A tua partilha nunca será divulgada, a não ser que assim o desejes,  mas o teu desafio e o teu exemplo podem ser o tema da próxima crónica, até porque as tuas experiencias podem ser a motivação de outros.

 

Por aqui continuo muito mãe, muito mulher e muito eu mesma.

 

Qual é o teu tipo de comunicação?

1) Olhas nos olhos dos outros quanto falas?
2) Estás atento á postura física e ás expressões faciais das pessoas?
3) Crias empatia e tentas compreender os sentimentos, comportamentos e atitudes dos outros?
4) Permites que o outro termine o que tem para dizer ou interrompes constantemente?
5) Fazes perguntas para esclareceres a informação?
6) Sorris e acenas com a cabeça quando o outro fala?
7) Como te comportas quando não gostas da pessoa que está a comunicar contigo?
8) Como te comportas quando não concordas com aquilo que te está a ser dito?
9) Onde está o teu foco? Na pessoa com quem comunicas ou nos pormenores ao teu redor?
10) Lembraste de pormenores importantes depois das conversas?
11)Analisas os outros ou limitas-te a julgar?
Ao saberes como comunicas saberás o que podes modificar, melhorar ou mesmo deixar de fazer. Faz-te sentido?

Aprendam-se novas perspectivas de vida

Hoje invertam-se, novamente, os papéis e vamos aprender com os filhos. Invertam-se os papéis e saiamos do papel de educadores e passemos a educandos. Difícil para alguns muito mais fácil para outros. Mas façamos a experiencia. Acredito que é na vulnerabilidade que está o segredo, acredito que é na autenticidade de sentimentos que conseguimos chegar a eles, aos filhos.

 

Avance-se e permitamo-nos ser crianças ou adolescentes. Aprenda-se novas perspectivas de vida. Recordem-se momentos onde nos divertíamos, onde o tempo era apenas o nosso tempo, onde o mundo era cor-de-rosa,  onde a vida era tudo menos difícil. Recordem-se aqueles momentos onde o coração batia forte e transformávamos pequenos nadas em muitos.

 

Invertam-se os papéis e permitamo-nos sentir que um dia, em algum momento, também fomos assim.

 

Eu? Continuo assim muito mãe, muito mulher mas sobretudo eu mesma

Sabes qual é o teu ponto de partida?

"As sessões de coaching foram o ponto de partida, para uma mudança profunda no modo como encaro qualquer problema, aprendi a centrar o meu pensamento nas soluções e a enfrentar os meus medos, alcanço por isso pequenas vitórias diárias, que me transformaram em alguém mais positivo." Zulmira Antunes

 

Por vezes sentimo-nos perdidos, sem rumo e sem saber muito bem para onde ir. Outras vezes estamos bem e queremos mais. Outras ainda precisamos de inspiração e motivação.

 

O coaching ajuda-nos a perceber quem somos e que papel é que queremos desempenhar na nossa vida. Enfrenta os teus medos, livra-te de dependências e eleva a tua auto-estima.

 

Revê a tua vida, encontra-te com quem és, e vive uma vida com significado onde impere a felicidade.

Males e Virtudes

 

"Esopo era um escravo de rara inteligência que servia à casa de um conhecido   chefe militar da antiga Grécia. Certo dia, em que seu patrão conversava   com outro companheiro sobre os males e as virtudes do mundo, Esopo foi chamado a  dar sua opinião sobre o assunto, ao que respondeu seguramente: - Tenho a mais   absoluta certeza de que a maior virtude da Terra está à venda no   mercado. - Como? Perguntou o amo surpreso. Tens certeza do que estás a dizer? Como podes afirmar tal coisa? - Não só afirmo, como, se meu  amo permitir, irei até lá e trarei a maior virtude da Terra. Com a devida   autorização do amo, saiu Esopo e, dali a alguns minutos voltou carregando um   pequeno embrulho. Ao abrir o pacote, o velho chefe encontrou vários   pedaços de língua, e, enfurecido, deu ao escravo uma hipotese para se explicar. - Meu amo, não vos enganei, retrucou Esopo. - A   língua é, realmente, a maior das virtudes. Com ela podemos consolar, ensinar,   esclarecer, aliviar e conduzir. Pela língua os ensinos dos filósofos são   divulgados, os conceitos religiosos são espalhados, as obras dos poetas tornam-se conhecidas de todos. Acaso podeis negar essas verdades, meu amo? -  Boa, meu caro, retrucou o amigo do amo. Já que és desembaraçado, que tal   trazer-me agora o pior vício do mundo. - É perfeitamente possível,   senhor, e com nova autorização de meu amo, irei novamente ao mercado e de lá   trarei o pior vício de toda terra.

Concedida a permissão, Esopo saiu   novamente e dali a minutos voltava com outro pacote semelhante ao   primeiro. Ao abri-lo, os amigos encontraram novamente pedaços de   língua.  Desapontados, interrogaram o escravo e obtiveram dele surpreendente   resposta: - Por que vos admirais de minha escolha? Do mesmo modo que a   língua, bem utilizada, se converte numa sublime virtude, quando relegada a   planos inferiores se transforma no pior dos vícios. Através dela tecem -se as   intrigas e as violências verbais. Através dela, as verdades mais santas, por ela   mesma ensinadas, podem ser corrompidas e apresentadas como anedotas vulgares e   sem sentido. Através da língua, estabelecem-se as discussões infrutíferas, os   desentendimentos prolongados e as confusões populares que levam ao desequilíbrio   social. Acaso podeis refutar o que digo? - Indagou Esopo.

Impressionados   com a inteligência invulgar do serviçal, ambos os senhores calaram-se,   comovidos, e o velho chefe, no mesmo instante, reconhecendo o disparate que era   ter um homem tão sábio como escravo, deu-lhe a liberdade. "

 

Autor desconhecido.

 

 

 

 

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D