Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Eu só não coloco uma foto minha e da família a comer bananas porque os miúdos as comeram todas e ainda não tive tempo de ir ao supermercado

 

 

Eu só não coloco uma foto minha e da família a comer bananas porque os miúdos as comeram todas e ainda não tive tempo de ir ao supermercado, no entanto, quero que fique aqui bem explicado que cá por casa somos todos macacos.

 

Mas, e como não podia deixar de ser, as vozes contra já se levantaram. Afinal a campanha foi um golpe publicitário. Que horror! Um golpe publicitário para agitar as consciências? Imaginem só. Um golpe publicitário inspirado em adeptos energúmenos que têm o hábito de atirar bananas aos jogadores negros? Que ousadia! Como é possível que alguém use a realidade para lutar contra o preconceito e a discriminação? Como é possível que alguém ouse sequer alertar para um mundo onde uns se acham melhor que os outros apenas por uma questão de tom de pele?

 

Podia-vos dizer que a única coisa que me surpreende é que nos dias que correm ainda se fale de racismo. Podia-vos falar da minha incapacidade para perceber toda uma mente baseada no preconceito. Podia, mas não o vou fazer porque hoje aplaudo de pé a campanha e a imaginação. Curvo-me perante os que se tem manifestado e tem postado fotos. Curvo-me perante aqueles que o fizeram de forma esporádica e sincera.

 

Faz-me sorrir e sentir que ainda vale a pena. Faz-me sorrir e acreditar que o mundo ainda tem solução. Cá por casa somos todos macacos mas a mãe vira loba quando se trata de igualdade e respeito pela diferença.

 

E-mail coaching


 

É com as necessidades dos outros que eu crio os meus novos programas de forma a adaptar-me aquilo que me pedem. A adaptação ao que o outro precisa faz-me todo o sentido até porque é assim que gosto de me mover pela vida

 

O e-mail coaching é uma forma flexível, fácil de usar e muito acessivel para todos os clientes. Este serviço está disponível como um apoio adicional ao coaching telefone / Skype  ou como um serviço autónomo.   Vantagens do E-mail Coaching :

 

  • Ideal para aqueles que preferem escrever do que falar e como a escrita é uma forma de terapia adaptamos aqui o util ao agradável;
  • Um e-mail pode ser enviado a qualquer hora e eu comprometo-me a responder no máximo até 48 horas depois;
  • Ideal para quem gosta de ver e rever o que escreve e o que pensa;
  • Os e-mails ficam guardados e sempre acessiveis. Optimo para quem gosta de relembrar de modo a perceber a evolução que teve e tem.
  • Muito fácil de usar e assim acabam-se as desculpas.

Atenção:

  • Cada resposta minha é personalizada e adaptada ao contexto e ás necessidades do cliente;
  • Todas as respostas vão incluir exercicios e/ou sugestões de leitura/visionamento;
  • Todas as perguntas têm uma resposta.

Interessado?

Contacta-me para falarmos dos pormenores.

 

E agora qual é a desculpa que vais usar?

"Quero saber quais são seus sonhos."

 

Há alguns anos, aceitei uma atribuição numa cidade do sul para trabalhar numa obra assistencial do governo. O que eu queria era mostrar que todo mundo tem capacidade de ser auto-suficiente, basta que essa capacidade seja ativada. Pedi à cidade que selecionasse um grupo de pessoas da obra assistencial, pessoas de diferente grupos raciais e famílias. Assim, eu veria essas pessoas, em grupo, durante três horas, todas as sextas-feiras. Pedi também uma pequena quantia em dinheiro para o trabalho, conforme minha necessidade.

A primeira coisa que eu disse depois de apertar as mãos de todos foi: "Quero saber quais são seus sonhos." Todos me olharam como se eu fosse alguma desequilibrada.

¾Sonhos? Não temos sonhos.

Eu disse:

¾Bem, o que aconteceu quando você era criança? Não tinha algo que queria fazer?

Uma mulher me disse:

¾Não sei para que servem os sonhos. Os ratos estão comendo meus garotos.

¾Oh ¾eu disse. ¾Isso é terrível. Não, é claro, você esta muito envolvida com os ratos e seus garotos. Como pode se resolver isto?

¾Bem, eu poderia utilizar uma nova porta de tela porque há buracos na minha.

Perguntei:

¾Há alguém aqui que saiba consertar uma porta de tela?

Havia um homem no grupo, que disse:

¾Eu costumava fazer coisas assim há muito tempo, mas agora tenho uma terrível dor nas costas. No entanto, vou tentar.

Eu disse a ele que tinha algum dinheiro, se ele iria até a loja comprar um pouco de tela para consertar a porta da senhora.

¾Acha que pode fazer isso?

¾Sim, vou tentar.

Na semana seguinte, quando o grupo se sentou, eu disse:

¾Bem, sua porta de tela está consertada?

¾Oh, sim - ela disse.

¾Podemos então começar a sonhar, não podemos?

Ela deu um meio sorriso.

Eu disse ao homem que havia feito o trabalho:

¾Como se sente?

Ele disse:

¾Bem, sabe, é muito engraçado. Estou começando a me sentir muito melhor.

Aquilo ajudou o grupo a começar a sonhar. Estes aparentemente pequenos sucessos permitiram que o grupo visse que os sonhos nao eram insanos. Estes pequenos passos começaram a fazer as pessoas sentirem que algo podia realmente acontecer.

Comecei a perguntar a outras pessoas sobre seus sonhos. Uma mulher contou que sempre quisera ser secretária. Eu disse:

¾Bem, o que a impede? (Esta é sempre minha próxima pergunta.)

Ela disse:

¾Tenho seis filhos e ninguém que tome conta deles enquanto estou fora.

¾Vamos ver - eu disse - Há alguém aqui que tome conta de seis crianças por um dia ou dois na semana enquanto esta mulher faz um treinamento na faculdade da comunidade?

Uma mulher disse:

¾Também tenho filhos, mas poderia fazer isso.

¾Mãos à obra - eu disse. Então criou-se um plano e a mulher foi para a escola.

Todos encontraram algo. O homem que instalou a porta de tela tornou-se faz-tudo. A mulher que tomou conta das crianças transformou essa atividade em profissão. Em doze semanas, todas aquelas pessoas estavam fora da obra assistencial. E eu não fiz isso uma única vez, tenho feito muitas vezes.

Virginia Satir                 

Do livro: "Canja de galinha para a alma" Jack Canfield e Mark Victor Hansen - Ediouro

Quanto a mim foi importante abordar coisas que nunca se abordam

 

"Quanto a mim foi importante abordar coisas que nunca se abordam, trata-las com naturalidade e encontrar soluções consistentes. Ser despertado para a realidade e abordar ferramentas que ajudam ao nosso crescimento pessoal, para mim fez todo o sentido. Obrigado. Só posso avançara se tiver consciência onde estou e tu dás uma grande ajuda nesta tomada de consciência. Obrigado por me ensinares a importância de saber perdoar e principalmente a estar grato. Francisco Vasconcelos

 

Entrego-me e dedico-me diariamente aquilo que mais gosto de fazer. Sinto-me, sinto os outros e avanço para onde estou. Reconheço-me numa calma e numa serenidade. Estou diferente e sou diferente. Ou será que sempre fui assim? Acordo todos os dias consciente de que a minha mudança faz a mudança nos outros.

 

Queres experienciar? Marca a tua sessão e atreve-te a seres quem queres ser e a ir para onde querer ir.

 

 

 

Culturas Diferentes, Sorrisos Iguais

Nesta altura do ano apetece-me sempre colocar os saltos altos de lado e fazer-me à estrada. Que é como quem diz fazer-me ao avião que eu cá gosto muito pouco de viajar de carro. Fazer-me ao avião significa na grande maioria dos casos viajar para uma capital europeia e calcorrear ruas horas sem fim. Gosto. Gosto de sentir outras culturas, outros seres e outros estares. Gosto de me sentar e observar, apenas observar.

 

Fala-se de viagens e recordo-me não das que fiz mas das que tenho vontade de fazer. Pudesse eu e a minha vida era passada de aeroporto em aeroporto, de país em país e de experiência em experiência. Gosto. Gosto da forma como somos todos tão iguais e ao mesmo tempo tão diferentes. Gosto do saborear de comidas em tons de arco-íris, gosto do palrear em línguas que não entendo e gosto de sorrisos universais.

 

A única coisa que não gosto é de fazer malas, afastar-me de um roupeiro inteiro para o reduzir  a um trolley. Demasiado doloroso ter que escolher entre peças quando o ideal era levarmos tudo connosco. Afinal de contas nunca sabemos o que nos poderá vir a fazer falta.

 

http://www.laredoute.pt/magazinedetendencias/index.php/culturas-diferentes-sorrisos-iguais/

 

"Cultivar um sentimento de proximidade e calor humano compassivo pelo outro, automaticamente coloca a nossa mente num estado de paz"

 

"Durante uma era glacial, muito remota, quando o Globo terrestre esteve coberto por densas camadas de gelo, muitos animais não resistiram ao frio intenso e morreram indefesos, por não se adaptarem as condições do clima hostil.

Foi então que uma grande manada de porcos-espinhos, numa tentativa de se proteger e sobreviver, começou a se unir, a juntar-se mais e mais. Assim cada um podia sentir o calor do corpo do outro. E todos juntos, bem unidos, agasalhavam-se mutuamente, aqueciam-se, enfrentando por mais tempo aquele inverno tenebroso. Porém, vida ingrata, os espinhos de cada um começaram a ferir os companheiros mais próximos, justamente aqueles que lhes forneciam mais calor, aquele calor vital, questão de vida ou morte. E afastaram-se, feridos, magoados, sofridos.

Dispersaram-se por não suportarem mais tempo os espinhos dos seus semelhantes. Doíam muito…….

Mas, essa não foi a melhor solução: afastados, separados, logo começaram a morrer congelados.Os que não morreram, voltaram a se aproximar, pouco a pouco, com jeito, com precauções, de tal forma que, unidos, cada qual conservava uma certa distância do outro, mínima, mas suficiente para conviver sem ferir, para sobreviver sem magoar, sem causar danos recíprocos. Assim, aprendendo a amar, resistiram a longa era glacial. Sobreviveram.

"Quanto mais nos ocupamos com a felicidade dos outros, maior passa a ser nosso senso de bem-estar. Cultivar um sentimento de proximidade e calor humano compassivo pelo outro, automaticamente coloca a nossa mente num estado de paz. Isto ajuda a remover quaisquer medos, preocupações ou inseguranças que possamos ter, e nos dá muita força para lutar com qualquer obstáculo que encontrarmos. Esta é a causa mais poderosa de sucesso na vida."

Tenzin Gyatso, XIV Dalai Lama Prêmio Nobel da Paz de 1989

A insustentavel leveza do equilibrio

 

 

Engraçado como nos esquecemos de quem fomos, do que fizemos, do que dissemos, do que sofremos e do que sorrimos. Engraçada a forma como a maioria das pessoas se esquece dos erros que cometeu quando inicia o processo de julgamento ou de critica. Engraçada a forma como agimos de forma tão leve para resolver os problemas dos outros e de forma tão arrastada os nossos. Engraçada a forma como nos recusamos a parar antes de falar.

 

Equilibre-se quem somos. Avalie-se passado e presente. Projecte-se futuros possíveis e vivencias esperadas. Conhece-te. Conhece-te no teu mais profundo ser e aceita-te nas derrotas e nas vitórias. Dói eu sei que dói. Mas sabes que essa dor te vai transformar? Sabes que essa dor te vai dar aquilo que o mundo precisa? Sabes que depois de a sentires te tornas?

 

Só quando nos conhecemos a nós e nos aceitamos é que passamos a ter a capacidade de conhecermos outros e os aceitarmos. A isso chama-se equilíbrio entre quem és e a forma como tratas os outros.

 

 

 

 

Silêncio e tanta gente

Sabes aquela pessoa que recorre a ti para te abrir o coração? Que te conta momentos de felicidade e de mágoa? Que te diz o que não sabe fazer? Que te abre os recantos mais íntimos do seu ser sem medo que a condenes? Sabes aquela pessoa que não tem medo de rir e chorar perto de ti? Que sente que te pode dizer tudo?
 
Sabes que muitas vezes essa pessoa não precisa que lhe dês soluções? Sabes que a maioiria das vezes essa pessoa só precisa que lhe dês ouvidos?
 
Fantástico sermos zona de conforto de alguém que precisa de nós. Fantástico termos alguém que confia tanto que nos mostra a alma.
 
Lembra-te que mais importante que dares soluções é dares sorrisos, compreensão e respeitares decisões.

 

Pág. 1/3