Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Pessoas Comuns - Vidas Inspiradoras

 

Matt Kepnes

 

Matt Kepnes – Antes: Um viajante Esporádico. Agora: Um viajante Eterno

 

Em 2005, Matt estava com um amigo na Tailândia quando se cruzou com alguns viajantes num autocarro. Ao ouvir as suas histórias sobre longas viagens, sentiu-se inspirado o suficiente para largar o seu emprego e procurar o seu lugar.

 

Em 2006 deu o primeiro passo e  lançou-se para uma viagem de 1 ano. Já se passaram 8 anos e ele continua a viajar. Já esteve em mais de 70 países e trabalhou em todo tipo de empregos para sustentar esta aventura. Neste momento ajuda pessoas e mostra-lhes que  que viajar não é tão caro como parece.

 

“Passou-me todo o tipo de medo pela minha cabeça, mas estar na estrada ensinou-me que a parte mais difícil é sair pela porta. O resto é fáci”,  diz ele.

 

Se estás a pensar fazer o mesmo pede ajuda ao Matt http://www.nomadicmatt.com/

E a Paula percebeu até onde ía a zona de conforto

 

 

Na zona de conforto, quase tudo é rotina, acostumei-me aos mesmos horários todos os dias, aos mesmos locais semana após semana, às mesmas pessoas mês após mês e aceitava as coisas como elas eram.
O conforto quase me reduziu a horas de levantar, deitar, horas de comer, horas de ir trabalhar, horas de ir buscar a filha...começou então o desconforto!
Precisava me sentir viva! Eu sentia que precisava de ajuda!
Foi nesta altura que procurei, ou por outro lado, encontrei a Marta!
A Marta foi e é uma amiga profissional a quem podemos confiar o que sentimos e o que somos, sem qualquer tipo de julgamento. Proporcionou-me um aconselhamento descontraído, soluções muito simples mas muito estratégicas e eficazes, levou-me ao encontro de novas perspectivas de vida e principalmente ajudou-me a reconhecer e aceitar o meu eu.
Obrigada Marta pelas curtas dez sessões que tive o privilégio de usufruir!

 

Paula Pereira

 

Pront@ para saires da tua zona de conforto?

 

Como fazes quando não tens vontade?

É muito frequente ouvir as pessoas dizerem que não têm vontade, que não lhes apetece fazer nada,  que se esqueceram do que querem ou então que já nem sabem o que lhes faz sentido. É muito frequente ouvir as pessoas dizerem que querem a mudança, que querem evoluir mas que dá trabalho, dá muito trabalho. Preguiça, muita preguiça!

 

Há dias em que a preguiça chega muito devagarinho, quase sem que nos  apercebamos. Instala-se de forma lânguida e convence-nos que é só hoje, apenas hoje. No entanto, ela vêm sempre para ficar, ronda-nos matreira e sussurra-nos que amanhã começamos. Quando nos apercebemos já passou tempo, tanto tempo que nos esquecemos do que queríamos e de quem somos.

 

Contraria-te. Agradece à preguiça e diz-lhe que não estás interessad@. Obriga-te a agir como te obrigarias a comer se deixasses de ter vontade o fazer.

 

Avança  e dá o primeiro passo e lembra-te que são os primeiros resultados que vão alimentar os resultados seguintes.

Cá por casa

 

Lá por fora temos notícias da execução de um jornalista e de seguida temos a contra notícia que poderá ter sido tudo encenado. Baralha-se um mundo onde o pensar já é muito pouco . De seguida temos desfile de prisioneiros na Rússia o que segundo o Governo não foi de modo algum humilhante. Cá por casa fiquei com a sensação de que estava a assistir a um qualquer documentário sobre uma época em que os direitos humanos não eram respeitados. Lá por fora terminamos em grande com a notícia de que a uma das minhas séries preferidas (uma família muito moderna) ganhou 3 Emmys. Resta-me dar os parabéns a quem me tem feito rir tanto.

 

Cá por dentro o Novo Banco começou já com publicidade apelando á confiança dos seus clientes. Depois de uma destas não sei se alguém pode confiar seja no que for. É por estas e por outras que eu continuo cliente CGD. José António Saraiva escreve um artigo sobre Emídio Rangel que me deu volta ao estômago. Somos todos livres de dar opiniões mas somos todos responsáveis por aquilo que dizemos publicamente. Feio muito feio denegrir a imagem de alguém contando confidencialidades e conversas de amigos.  Cascais esteve ao rubro com os confrontos no concerto de Anselmo Ralph. Diz quem lá esteve que o moço teve uma postura muito coerente e que procurou acalmar os ânimos. Conta-se que o governo quer continuar a aumentar os impostos quero acreditar que estamos a viver num mundo encantado onde vencem as bruxas más e perdem as gatas borralheiras.

 

Cá por casa a filha mais nova está de férias com o pai, a do meio continua na apanha da pera e o mais velho continua por cá. Os dias cheiram e parecem de Outono até porque a Oeste já temos dias com chuva. Desde que vim de férias que tenho a sensação de que o trabalho é constante e que o número de horas que me dedico ao que gosto tem vindo a aumentar. O penteado novo já está mais aceite, embora não totalmente. Os elogios foram tantos que acabei por me render às evidências.  Por aqui gosto de um mundo que é muito meu pela serenidade, verdade e aceitação. Por vezes perco-me das letras a favor de um dia-a-dia de inspiração. Nesses momentos obrigo-me a escrever tal como me obrigaria a comer se o deixasse de o fazer. A comida alimenta-me o corpo mas a escrita alimenta-me a alma.

 

Eu? Continuo assim muito mãe, muito mulher mas sobretudo eu mesma.

 

A corda

Conta-se que num reino muito um antigo existia um Rei que  tinha dois amigos que foram declarados culpados de um crime e condenados à morte. Embora o rei gostasse muito deles, não ousou libertá-los imediatamente por medo de dar mau exemplo ao povo. Por isso, este foi seu veredicto:

- Uma corda deve ser esticada sobre um abismo profundo e cada um dos dois homens caminhará sobre ela - para a salvação e a liberdade ou, se caírem, para a morte.

O primeiro atravessou com segurança. O outro gritou para o primeiro, através do abismo:

- Amigo, diga-me como conseguiu.

Respondeu o primeiro:

- Como posso saber? Tudo que fiz foi isto: quando me via a cair para um lado, inclinava-me para o outro lado.

Anthony de Mello

Como é que podes atingir o teu sonho?

Cada um de nós é um ser único, com características, vivências, expectativas e ritmos muito próprios. Quando estiveres a construir o teu sonho lembra-te que é o teu sonho e que o processo deve ser comandado por ti independentemente de teres á tua volta quem te inspire, ajude e motive.

Atingir um sonho não é uma tarefa fácil exige trabalho, esforço, gestão emocional e muito tempo.  É um processo criativo que não pode nem deve ser apressado.

Existem alguns pontos que deves reter para ficares mais próximo do teu sonho:

 

Paixão

Para realizares um sonho deves faze-lo com paixão. É a paixão pelo teu sonho que te vai orientar nos passos que vais dar e nos resultados que vais obter.

Pergunta a ti mesm@:

- O que é que me apetece fazer?

- O que é que me faz sentido naquilo que faço?

Quando fizeres com paixão vais saber exactamente os passos que deves dar.

 

O que é que tu sabes?

Já referi anteriormente que és único naquilo que és e naquilo que fazes. Todos nós temos experiencias e sabedoria únicas.

Onde é importante que te retenhas é na pergunta “o que é que eu sei?”

 

Divertimento

Todo este trabalho deve ser divertido até porque é necessário que cries jogos, que te desafies, que brinques com palavras e com ideias. Medita, joga, brinca e procura novas soluções

 

Feed-Back

Para que o sonho se concretize é necessário que exista feed-back. Testa e torna a testar. Não tenhas receio de redefinires ideias e de alterares o processo que tinhas pensado inicialmente.

 

Confia no processo mas confia sobretudo na tua paixão pelo teu sonho. Reserva tempo para te ouvires. Ouve-te sempre!

A meio do processo pergunta-te:

  • Estás a criar com paixão? Não?  O que te está a impedir?
  • Como é que podes confiar mais na tua paixão?
  • O que é que já sabes?
  • Onde podes criar mais?
  • Tens-te divertido?
  • Como é que podes largar o teu autojulgamento?
  • Como é que podes permitir deixar-te ir?
  • Como é que te podes divertir ainda mais a trabalhar?

Workshop de Organização Pessoal e Gestão de Tempo

Sabias que a desorganização em que vives pode afectar a tua saúde? A ansiedade que te provoca o facto de teres coisas para fazer e/ou arrumar pode impedir-te de atingires os teus objectivos? Sabias que uma pessoa organizada tem mais hipóteses de atingir os seus sonhos do que uma pessoa desorganizada? Tens demasiadas tarefas e não sabes por onde começar? Sentes que estás a perder o controlo e a vontade?
 
Queres ajuda para te organizares pessolmente e profissionalmente? Muda o padrão, muda o comportamento e muda a atitude. Organiza as tuas tarefas, a tua casa, a tua carreira e as tuas relações.
 Objectivos:

- identificação das prioridades pessoais;
- avaliação do equilibrio entre as diferentes áreas da vida: profissional, saude, espritualidade, sonhos, familia e lazer;
- avaliação da coerencia entre prioridades e investimento de tempo, energia e dinheiro;
- definição de objectivos e planeamento de estratégias para mudança;
Pedir uma ajuda não é sinal de fraqueza é sinal que estás pronto para seguir em frente!
Agora tens oportunidade de o fazer a um preço muito mais acessivel.  Em parceria com a letsbonus .

Donos da verdade

Desde cedo que escolhi os meus amigos pelo que me faziam sentir. Lembro-me que mesmo em miúda nunca escolhi os amigos por quem eram ou mesmo pelo que me podiam dar. Pelo que consta até escolhia aqueles que mais ninguém queria. Segundo consta eram os mais indefesos com quem eu gostava de me dar. Não sei se pela liberdade de acção se pela liberdade de pensamento.

 

Tive os meus tempos de contestação, de verdades absolutas e certezas incontestáveis. Tive o meu tempo de dúvidas e com o tempo fui percebendo que é fácil estarmos no 8 ou no 80 dependendo do momento que vivemos, das experiencias que tivemos e no que nos permitimos crescer enquanto pessoas.

 

Com o tempo fui aceitando os outros como eles são independentemente de estarem alinhadas comigo ou não. Com o tempo fui-me apercebendo que acreditamos todos ser donos da verdade. Esquecemo-nos é que a nossa verdade não é de todo a verdade do outro. Esquecemo-nos que o nosso ser e estar não é de todo melhor que outros seres e estares.

 

Hoje vivo rodeada de pessoas completamente diferentes umas das outras. Hoje dou-me com as mais variadas pessoas porque o importante para mim é que aqueles que estão ao meu lado me respeitem pelo que sou e que estejam alinhados com os meus princípios e os meus valores. Não me importo com o que foram, importo-me com o que são.

 

O que mudou? Com o tempo deixei de me sentir dona da verdade, percebi que o mundo é muito mais do que eu conheço e do que algum dia vou conhecer. Percebi que o que o que os meus olhos vêem e o meu ser sente é muito diferente daquilo que os outros vêem e sentem.

 

E tu consideras-te dono da verdade?

Pessoas Comuns - Histórias Inspiradoras

Katie Aune 

Katie Aune – Antes : Esgotada e insatisfeita com o trabalho.  Agora: Mais forte, confiante e dando valor à pequenas coisas

 

Um dia Katie respirou fundo e percebeu que estava descontente com o trabalho que desenvolvia  e que andava há muito tempo sem  descanso. Então com muita coragem largou o emprego e iniciou-se numa aventura.

 

Foram 13 meses a viajar sozinha por todos os 15 países da antiga União Soviética. Apesar de ter voltado à sua rotina normal, voltou com uma perspectiva totalmente diferente da vida.

 

Queres saber o que aconteceu? http://katieaune.com/

Independentemente do caminho, sei que será um bocadinho do que aprendi consigo

 

"Nem é bem um agradecimento... é mais um reconhecimento pelo valor das sessões que me acompanharam nestas últimas semanas. Não tenho dúvida que nós - 'os seres humanos' - somos poderosos, mas é surpreendente o que o coaching pode revelar. 

 

É mais ou menos como nos observássemos 'de fora', com estima mas simultaneamente sentido crítico! 

Independentemente do caminho, sei que será um bocadinho do que aprendi consigo.  

 

A quem estiver 'a pensar', recomendo. Vale a pena!"

 

 

Obrigada Marta Ramos

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D