Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Demasiado violento nascer mulher num mundo que nos trata assim

 

 

O movimento feminista iniciou-se no Séc. XIX e pretendia direitos e deveres iguais para a mulher e para os homens  quer fosse no domínio social, politico, jurídico e mesmo económico. Em 1909 é criada a Liga Republicana das Mulheres Portuguesas dirigida por três grandes mulheres a quem faço uma vénia e agradeço a luta - Maria Veleda, Adelaide Cabete e Ana de Castro Osório.
Em 1910 é promulgada a primeira Lei do Divórcio que diz que seja dado o mesmo tratamento ao marido e à mulher tanto em relação aos motivos da separação como aos direitos sobre os filhos. A mulher deixa de dever obediência ao marido e o crime de adultério tem o mesmo tratamento quando cometido por qualquer dos cônjuges. O dever de submissão das esposas aos maridos é suprimido e o acesso ao trabalho na administração pública é autorizado às mulheres. A escola torna-se obrigatória para crianças, meninas e meninos dos 7 aos 11 anos.
Em 1931 conquistámos o direito de voto em Portugal mas tínhamos de ter o ensino secundário completo ou formação universitária. Nessa altura os homens só precisavam de saber ler e escrever. 
Em 1974 foram abolidas todas as restrições ao género feminino. 40 anos depois continuamos em muitas casos a ter de trabalhar o dobro para provar que somos boas no que fazemos.  Continuamos a ser assediadas nos locais de trabalho e se nos queixamos estávamos mesmo a pedi-las. Somos espancadas e mortas por alguém que ainda se acha nosso dono embora a legislação diga o contrário.  Temos que levar com energúmenos idiotas se nos atrevermos a sair á noite sozinhas. Somos violadas e maltratadas sem que ninguém seja punido e em certos países somos obrigadas a casar em tenra idade apenas porque nascemos mulheres. . Em Portugal existem empresários  que obrigam as mulheres a decidir entre serem mães ou profissionais por um período de 5 anos? Em Portugal? Quer dizer que num país onde a população está envelhecida aqueles que deviam contribuir para a sua evolução estão a travá-la?  Quer dizer que não basta não termos as mesmas oportunidades ainda somos obrigadas a renunciar a um estado que nos é natural? E será que esses senhores também proíbem as mulheres de engravidarem? E será que esses senhores foram concebidos em laboratório? 
Violento. Demasiado violento nascer mulher num mundo que nos trata assim. Violento. Demasiado violento vivermos num mundo que continua a assobiar para o lado e a fazer que não vê. Demasiado violento viver  num mundo que aponta, julga, encolhe os ombros mas continua a permitir. 
Feminista? Se ser feminista  significa defender  a existência de uma sociedade onde a igualdade de oportunidades e de direitos entre géneros seja uma realidade então assumo-me como tal. Se ser feminista significa querer que eu e as minhas filhas tenhamos as mesmas oportunidades e os mesmos direitos na sociedade em que vivemos , então eu sou. Se ser feminista significa eu poder trabalhar e ser mãe sem ter medo de ser despedida não tenham qualquer duvida que sou!
Eu? Continuo assim, muito mãe, muito mulher mas sobretudo muito preocupada com um mundo onde o respeito de uns pelos outros começa a ser escasso. 
 

2 comentários

Comentar post