Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Pais e Filhos

images.jpg

 

 Sempre que depende de mim gosto de iniciar e terminar uma tarefa. Gosto especialmente da organização de ideias e ações. Ter uma profissão onde se trabalha a inspiração e a motivação para que sonhos se transformem em objetivos e sejam postos em ação faz com que vá refinando esse meu ser e esse meu estar.

 

No entanto, reconheço que existe um tipo de tarefa que nunca está terminada. A tarefa de sermos pais e de sermos mães. Para além de todo um dia-a-dia já por si agitado estamos cada vez mais atentos á necessidade de sermos mais e de sermos melhores. Procuramos constantemente novas respostas, novas ajudas e novas competências parentais para que sejamos os melhores pais do mundo, sempre os melhores pais do mundo.

 

Acredito que vivemos uma época em que procuramos demasiadas respostas lá fora e esquecemo-nos que na maioria dos casos as temos cá dentro, bem dentro de nós. São poucos os pais que se permitem ouvir e seguir aquilo que sentem na relação com os filhos. São poucos os pais que se permitem aceitar mesmo que não estejam de acordo.

 

Ouço frequentemente nas primeiras consultas de coaching parental pais a pedirem-me para os ajudar a mudar este ou aquele comportamento do filho. Acontece também pais que querem corrigir comportamentos do outro progenitor. Um trabalho de coaching parental não faz uma coisa nem outra. O coaching parental é dirigido para os pais que queiram mudar e tornar-se o melhor que souberem e/ou quiserem ser. Não vamos trabalhar o outro vamos trabalhar-nos a nós.

 

Ao contrário de outras filosofias no coaching parental não existem receitas exatas nem livros de instruções pelo menos no início do processo, porque no final podemos construir o nosso livro de instruções. No coaching acredita-se que cada pai é um pai e que cada mãe é uma mãe e aquilo que funciona com uns poderá não funcionar com os outros.

 

Este método vai trabalha-lo a si enquanto pessoa e ao papel que desempenha enquanto pai/mãe. Valoriza-se o individuo e aperfeiçoa-se o(a) pai/mãe. Tem por objetivo desenvolver, desafiar, apoiar e capacitar pessoas a atingir todo o seu potencial enquanto mãe, pai e /ou educador através de perguntas. É uma abordagem pela positiva que inicia o trabalho a partir das qualidades dos pais. O trabalho de coaching parental é iniciado com a identificação de competências e recursos que cada pessoa tem, de forma a aumentar a confiança e consequentemente a autoestima.

 

Passa-se do problema para a solução sempre com a certeza que depende apenas e somente de nós.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D