Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Rumos

(imagem retirada da net)

 

 

Prendo-me durante muito tempo a conceitos e preconceitos. Ganho medos. Medos inexplicáveis dentro de qualquer tipo de racionalidade. Cimento-me na zona de conforto. Mais fácil dizer que não gosto do que me permitir experienciar ou mesmo degustar. Prendo-me mas as vontades crescem.

 

Aceito-me na importância de sair da minha zona de conforto. Depois? Depois perceber que o importante é confiar, acreditar e sentir, apenas sentir. Depois? Perceber que não vivi sensações, emoções, vivências e sorrisos. Muitos sorrisos.

 

No final, fica uma sensação de ter dado mais um passo e avançado rumo aquilo que sou e aquilo que sinto.  No final, fica a certeza que, tal como quando velejamos, existem momentos na vida em que estamos a favor do vento e outros momentos em que nos cabe a nós definir o rumo que vamos tomar.

 

Marta leal

 

 

 

8 comentários

Comentar post