Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Caminhos

Normalmente sei para onde vou, como vou e quando tenho de chegar. Por vezes paro. Distraio-me com isto ou com aquilo. Distraio-me sobretudo com o que é novo com o que de um modo ou de outro me pode trazer novos conhecimentos.

 

Sento-me, paro e observo uma paisagem, uma pessoa, uma conversa, uma atitude. Sinto cheiros e oiço sons que me tiram da realidade. Quero ficar ali. Quero ver, quero olhar e quero sentir. Converso com quem se cruza comigo. De umas pessoas gosto de outras nem por isso. Mas fico para observar, para conhecer, para me porem a pensar. Fico, sobretudo, para ouvir. Fico porque sei que vou crescer.

 

De repente lembro-me que tenho de continuar tenho um caminho traçado por  mim e é para lá que tenho de caminhar. Paro novamente. Agora só quero reter aquelas imagens no meu pensamento. Enquanto caminho vou reflectindo, sobre quem sou, sobre os que conheci e sobre o que vi. Choro e riu sozinha ao pensar em tantas recordações. Mas sigo sempre para onde tinha pensado ir. 

 

 Por vezes fico curiosa com outros caminhos. Hesito mas a curiosidade é mais forte. Desvio caminho vejo coisas novas e conheço novas pessoas. Demoro mais tempo é verdade mas enriqueço a minha caminhada.

 

Chego finalmente onde queria chegar. Chego mas reparo que chego acompanhada por alguns que se cruzaram comigo. Chego feliz pelo que vi e pelo que aprendi.

 

Chego e percebo que o que interessa não é só chegar … mas é principalmente o caminho que se percorreu.