Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

De forma gratuita

 

 

Criticamos de forma gratuita de uma forma tão gratuita que por vezes baralhamos a crítica e esquecemo-nos do que estávamos a criticar. Se nos dedicamos a causas fora do país é porque devíamos dedicarmo-nos a causas dentro do país. Se damos a cara pelos animais é porque devíamos dar a cara por pessoas porque essas sim essas é que precisam. Se resolvemos ajudar os idosos o ideal mesmo era olharmos para as crianças.

 

Pare-se. Pare-se com a crítica gratuita com o apontar o dedo com a tentativa de destruição de tudo o que os outros fazem. Pare-se de ser contra e comece-se a ser a favor. Somos todos necessários os dos animais, os dos idosos, os das crianças, os dos sem abrigo, e os dos que têm abrigo, os cá de casa e os ali do lado. Somos todos necessários para a mudança, para o avanço e para a ajuda.

 

Gosto de pessoas. Gosto daquelas que amam e gosto das que se recusam a amar. Gosto das que se divertem e das que se recusam a divertir. Gosto das partes que nos constituem como todo. Gosto especialmente dos que dão a cara, se assumem como são e são a favor de alguma coisa. Porque também para mim a beleza tem de vir de dentro.

 

Porque só na diversidade conseguimos chegar a todos e dar o melhor de nós.  E tu focaste onde? no que os outros fazem ou naquilo que tu achas que eles devem fazer?

Qual o papel dos valores nas nossas vidas?

 

 

A função dos valores é serem as pedras básicas da avaliação ou julgamento, são responsáveis pelos nossos estados emocionais, são uma fonte básica de motivação, são uma base fundamental da nossa existência, incorporam o que é importante para nós e definem o que para nós é absolutamente verdadeiro. Fazem parte da nossa identidade e dirigem o nosso comportamento.

A desumanização incomoda-me

 

 

A desumanização de nós próprios incomoda-me. Hoje não me vou referir aquilo que um ser humano consegue fazer a outro ser humano porque isso é assunto para mais tarde teclar. Hoje refiro-me apenas aquilo que o ser humano consegue fazer a ele próprio. Como eu dizia a desumanização incomoda-me. Incomoda-me a necessidade catastrófica que temos de ser super heróis, de nunca errar, de estarmos sempre no topo do mundo, de nunca chorarmos, de acordarmos todos os dias bem-dispostos e até de debitarmos uma enormidade de frases feitas que, na maioria dos casos, nada mais são do que frases pouco sentidas.

 

Perdoem-me mas não acredito na desumanização e muito menos acredito na satisfação constante. Incomoda-me a frase feita vestida de uma expressão que não se lhe adequa. Incomoda-me o sorriso forçado perante palavras que nos magoam. Incomoda-me não o particular mas o todo. Perigosa. Demasiado perigosa esta pretensão de sermos o que não somos e não aceitarmos o que nos é natural. Somos humanos e como seres humanos choramos, rimos, duvidamos e seguimos ou não em frente.

 

Acredito que quanto mais humanos formos mais fácil será seguir em frente. Mas é apenas o meu acreditar até porque eu continuo assim muito mãe, muito mulher mas sobretudo muito eu mesma.

Valorizando a Vida

Conta a lenda que um rico mandarim chinês encheu-se de tédio pela sua vida fautosa e pelo seu poder sem limites. Nada mais despertava seu interesse, não sentia prazer por coisa alguma. Seus desejos, mal eram formulados e já estavam realizados. Tinha perdido sua ligação com a vida e não havia nele a vontade de viver. Percebeu a insensatez e a inutilidade de sua existência e temeu ficar louco. Para acabar com o sofrimento, o rico mandarim ordenou ao seu barbeiro que, num dia qualquer, sem nenhum aviso, ao fazer-lhe a barba, cortasse-lhe a garganta. Era uma ordem e tinha que ser obedecida.

Nos primeiros dias, o mandarim se fez barbear com toda tranqüilidade, pois não esperava que a ordem fosse cumprida de imediato, mas, à medida que o tempo avançava, começou a se perguntar se o dia seria amanhã.

O entendido mandarim passou então a viver cada dia como se fosse o último, e livre da "obrigação de viver", o rico mandarim se pode permitir ver como era lindo o amanhecer, como eram diferentes os tons de verde dos seus campos, como era alegre o canto dos pássaros e como eram belas as suas cores, como eram imponentes e cheios de força os rios que cortavam suas propriedades. Viu também toda a beleza de uma tormenta, numa exibição gratuita de energia e violência. Viu também que tinha um corpo e se deu conta de que, só tendo um corpo capaz de sentir, podia viver a beleza da vida. Por tudo isso valia a pena viver!

 

Agora o barbear era uma agonia e, embora tivesse dado uma contra-ordem ao barbeiro, mandou decapitá-lo, por via das dúvidas.

 

Autor deconhecido

Selfies e Piolhos

Ando quase sempre alheada da maioria das noticias mas esta não me passou ao lado até porque como mãe de três perdi a conta ao número de frascos de shampoos, tratamentos e repelentes que comprei para a cabeça dos piquenos ao longo de anos.

 

Pelo que consta as selfies ajudam a propagar a piolhada e eu que  pensava que era uma forma de nos aproximar uns dos outros. Pessoal próximas selfies só de toucas, gorros, chapéus ou carecas ;)

 

Conta-se por aí

 

Conta-se por aí que a vida começa aos quarenta. Eu prefiro dizer que a vida começa quando nascemos mas com os quarenta aprendemos a saboreá-la de forma diferente. A pressa da adolescência dá lugar a uma calma envolta num saber esperar. A necessidade de realização dos 20 dá lugar a uma escolha mais selectiva do que vale ou não vale a pena e o deve ser dos 30 transforma-se no que se lixe dos 40. É quase como se passássemos de um devorar constante para um degustar permanente.

 

Chegada aos 45 sorrio ao percurso que me trouxe aqui, àqueles com que me cruzei e a todas as decisões que tomei. Assumo-me todos os dias  num ser e num estar muito característicos. Tão característico que muitas vezes não preciso de falar para ser mais ou menos entendida. Foco-me cada vez mais em mim e no que considero ser importante. Deixo-me de certezas absolutas, de “já sei”, de “deves ser”, de nuncas e de “não pode ser”.  Por aqui cresço todos os dias na partilha, no ouvir, no caminhar, no ser e no estar. Chegada aos 45 anos dispo-me cada vez mais daquilo que não me faz sentido e só me permito vestir aquilo que me serve.

 

Por aqui é muito mãe, muito mulher e muito eu mesma que agradeço àqueles que fazem parte de mim e que têm feito parte do meu percurso: Obrigada!!!!

O que é a Programação Neurolinguistica

 

A PNL descreve a interacção entre a mente (neuro) e a linguagem (linguística) e a forma como essa dinâmica afecta o corpo, o nosso comportamento e as nossas emoções (programação).

 

Programação: a estratégia da mente e do corpo ou sequência dos nossos pensamentos e acções ou seja podemos escolher diversas formas de organizar as ideias e acções para atingirmos determinados objectivos. Assim, ao longo da vida programamo-nos para agir, pensar e sentir.

 

Em resumo podemos considerar a programação como a capacidade de criar e reproduzir programas de comportamento.

 

Neurologia: a mente e a estrutura de pensamento. Porque a capacidade de nos programarmos depende da nossa capacidade neurológica. Somos capazes de pensar, sentir e seleccionar comportamentos, porque possuímos um cérebro e sistema nervoso. A palavra Neuro diz respeito às percepções sensoriais que constroem a nossa experiência subjectiva da realidade e que determinam os nossos estados internos (sentimentos, emoções). No fundo, tem a ver com o facto do nosso comportamento derivar do sentido que nós damos aos processos

neurológicos de ver, ouvir, cheirar, gostar e sentir.

 

Linguística: como usamos a linguagem e como ela nos afecta. A  nossa linguagem (verbal e não verbal) traduz a nossa forma de pensar e agir. A palavra LINGUÍSTICA refere-se aos modos verbais e não verbais que utilizamos para comunicar com os outros, reflectindo simultaneamente o modo como nos organizamos a nível interno.

Woo Sing e o Espelho

Um dia, o pai de Woo Sing chegou em casa com um espelho trazido da cidade grande. Woo Sing nunca vira um espelho na vida. Dependuraram-no na sala enquanto ele estava brincando lá fora; quando voltou, não compreendeu o que era aquilo, pensando estar na presença de outro menino. Ficou muito alegre, achando que o menino viera brincar com ele. Ele falou muito amigavelmente com o desconhecido, mas não teve resposta. Riu e acenou para o menino no vidro, que fazia a mesma coisa, exatamente da mesma maneira. Então, Woo Sing pensou: "Vou chegar mais perto. Pode ser que ele não esteja me escutando." Mas quando começou a andar, o outro menino logo o imitou. Woo Sing estacou e ficou pensando nesse estranho comportamento. E disse para si mesmo: "Esse menino está zombando de mim; faz tudo o que eu faço!" E quanto mais pensava, mais zangado ficava. E logo reparou que o menino estava zangado também. Isso acabou de exasperar Woo Sing! Deu um tapa no menino, mas só conseguiu machucar a mão, e foi chorando até seu pai. Este lhe disse: - O menino que você viu era a sua própria imagem. Isso deve ensinar você uma importante lição, meu filho. Tente não perder a cabeça com as outras pessoas. Você bateu no menino no vidro e só conseguiu machucar a si mesmo. "E lembre-se: na vida real, quando você agride sem motivo, o mais magoado é você mesmo."

 

Extraído de: O Livro das Virtudes II - O Compasso Moral William J. Bennet - Editora Nova Fronteira

Coaching

 

O coaching é um processo que tem como objectivo elevar o desempenho pessoal e/ou profissional de uma pessoa ou de um grupo de pessoas. Este processo envolve duas pessoas o coach e o coachee.

 

Este método foi-se desenvolvendo ao longo dos tempos e foi tendo influências das mais diversas áreas do saber como a Psicologia positiva, a terapia gestalt, a psicologia Comportamental, a teoria da inteligência emocional e a Programação Neurolinguistica.

 

Papel do coach

 

O papel do coach é o de fazer perguntas de modo a que o coachee encontre as respostas dentro dele para poder lidar da melhor forma com os desafios pessoais e profissionais. A função de um coach é ajudar o cliente a eliminar os obstáculos internos e a a conseguir expressar todo o seu potencial de modo a poder liderar a sua própria vida.

 

Neste processo é importante deixar de lado julgamentos o que não significa que não se olhe para a realidade para identificar a melhor forma de melhorar atitudes, escolhas e decisões.

 

O coach também vai contribuir para que se estabeleçam metas claras o que vai permitir a elaboração de uma plano de acção eficaz que se paute por resultados mais positivos.

 

No processo de coaching aprender não significa apenas obter mais conhecimento mas principalmente expandir a capacidade de acção para se atingirem os resultados pretendidos.

 

O profissional de coaching também contribui para o estabelecimento de metas mais claras. Isso permite a elaboração de um plano de acção mais eficaz e a obtenção de resultados mais positivos.

 

Filomena

Sou meia esquisitinha com esta coisa do cinema. Gosto de ver um bom filme numa sala de cinema até porque nunca consigo ver um até ao fim na minha sala de estar. Ainda não consegui perceber se está relacionado com o ritual de sair de casa ou se é apenas uma questão de gosto mas isso também não interessa nada. Há uns dias fui ver o filme Filomena e fiquei deliciada pela historia (verídica), pelo humor e pelo sentido de perdão que o filme nos transmite. Há dias saí da sala de cinema preenchida pela mensagem que recebi. Fantástico quando nos permitimos receber sem questionar valores, crenças e princípios.