Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Cá por casa

 

Estão oficialmente abertas as limpezas de Primavera e com elas a sensação que tudo aumenta de tamanho tal é a quantidade de coisas que se deitam fora, oferecem ou simplesmente se arrumam. Aumenta o tamanho da casa e diminui a conta bancária que o desvio orçamental previsto para  as limpezas já está muito acima do esperado. Estou a pensar aumentar os impostos sobre as mesadas e diminuir a frequência do pagamento das mesmas. Sujeito-me apenas a uma revolução de adolescentes que no que toca a injustiças são tudo menos pacíficos.

 

Cá por casa guardam-se aqueles bonecos especiais e oferecem-se os últimos pinipons. Estão crescidos, estão muito crescidos. A sensação de obra feita oscila com a sensação de saudade daqueles abraços de uma infância mimada. Agora, que venham os netos :)

 

Por cá e em resultado de um inverno de chuva intensa a minha roupa de verão encolheu toda. Tramada a humidade que insiste em dar-me cabo da indumentária. As más línguas dizem que é dos chocolates e dos doces eu insisto no excesso de humidade.

 

Cá por casa assinei mais uns protocolos e avancei com mais uns projectos. Gosto. Gosto muito do que faço e dos resultados que tenho obtido. Gosto especialmente de ver a mudança, o avanço e o sorriso. Gosto especialmente de ajudar a fazer a diferença.

 

Cá por casa continuo assim muito mãe, muito mulher e sobretudo eu mesma.

 

 

Dê-lhe a sua mão

Um homem estava atolado num pântano no norte da Pérsia. Somente sua cabeça ainda estava fora do lamaçal. Com toda a força dos pulmões, ele gritou por ajuda. Logo acorreu uma multidão de pessoas ao lugar do infortúnio. Uma delas resolveu tentar ajudar o pobre homem.

"Dê-me sua mão", gritou para ele, "eu vou tirá-lo do lamaçal."

Mas o homem que estava atolado na lama continuou gritando por ajuda e não fez nada que permitisse ao moço ajuda-lo.

"Dê-me sua mão", o moço pediu várias vezes.

Mas a resposta era sempre o mesmo grito de desespero por ajuda.

Então outra pessoa aproximou-se e disse:

"O Senhor não vê que ele nunca vai lhe dar a mão? O senhor é que tem de dar a mão a ele. Aí então poderá salvá-lo."

Do livro: O Mercador e o Papagaio Nossrat Peseschkian - Papirus Editora

Mentoring

 

A pedido de vários e depois de amadurecer a ideia resolvi aceder e criar um serviço de mentoring para a vida. Este  Programa de Mentoring assenta num relacionamento pessoal e de confiança estabelecido entre mim e aqueles que se atreverem.

 

Mentoring e coaching são duas actividades que estão relacionadas. A diferença está em que no Mentoring o profissional já pode dar conselhos ou soluções para resolução dos problemas específicos do teu dia-a-dia.

O mentoring é um processo que não tem um tempo estabelecido para o seu fim enquanto o coaching é um processo com princípio, meio e fim.

Porque muitas vezes queremos avançar e não sabemos por onde começar. Porque muitas vezes sentimo-nos demasiado sozinhos para seguirmos em frente.

Como podemos funcionar os dois?  Conta-me o que queres e definimos um plano. Seduz-te? Manda-me um  email a perguntar mais pormenores e não te esqueças de teres um dia fora de série. E, se a tua mente já te está a dizer que pode ser muito caro porque não te atreves e confirmas?

 

 

Eu? Continuo assim, muito mãe, muito mulher mas sobretudo eu mesma.

És a melhor mãe do mundo e mesmo que eu tivesse outra mãe continuavas a ser a melhor mãe do mundo

Cá por casa desejo a todas as mães um feliz dia. Cá por casa recordo sempre com um sorriso nos lábios outros dias das mães e guardo como frase de eleição a que a minha filha mais nova me costumava dizer "és a melhor mãe do mundo e mesmo que eu tivesse outra mãe continuavas a ser a melhor mãe do mundo".
Não previ ser mãe, não sonhava sequer ter uma família grande  e se querem que vos diga o meu foco estava numa carreira que tinha definido seguir. Há 20 anos engravidei pela primeira vez quando me tinha sido dito que poderia ser difícil ter filhos. A decisão foi fácil. Fui mãe e mandei a carreira esperar um bocadinho. Hoje tenho os filhos e a carreira.
Ser mãe para mim é permitir-lhes ser, fazer com que saibam saber escolher, deixá-los errar, deixá-los tentar, deixá-los cair, deixá-los experienciar e ajudá-los a realizar os sonhos. Influenciá-los pela positiva, motivá-los e inspira-los não apenas por palavras mas sobretudo com acções. Ser mãe para mim é estar cá para eles mas nunca me esquecer de mim. Ser mãe para mim é olhar para os meus três filhos e aceitá-los como são no todo e no particular.
Eu também tenho a melhor mãe do mundo até porque se tivesse tido outra mãe nunca seria quem sou. E tu és ou não a mulher mãe do mundo?

A determinada altura dei por mim a esperar freneticamente por cada sessão

Sendo desconfiado de tudo o que ainda não experimentei, vi o coaching apenas como outro meio de auto-ajuda. Seria apenas mais uma ferramenta, que nos meus olhos de leigo em relação ao assunto, pouco ou nada ia contribuir para o meu crescimento pessoal.

A verdade é que se tornou algo bem maior do que o que eu estava a espera. A determinada altura dei por mim a esperar freneticamente por cada sessão.
A Marta é uma excelente profissional e, com o background que tem, consegue adaptar as sessões a cada um dos "pacientes". Não há duas pessoas iguais e senti que esse ponto foi dos mais valorizados durante as sessões.
Durante as sessões foram-me ensinadas ferramentas subtis que acabei por introduzir na minha vida, por vezes involuntariamente, que me permitem determinar "projectos pessoais" e checkpoints de evolução.
Algo que consigo crucial no coaching é a maneira como somos ensinados a lidar com o insucesso. Somos humanos, estamos longe da perfeição e por vezes as decisões que tomamos podem criar caminhos que nos levam ao insucesso de alguma das metas que criamos. Por sua vez isto pode criar sentimentos de impotência que nos levam a abandonar um projecto e a desperdiçar todo o caminho que fizemos até à data. Esta foi uma das maiores aprendizagens do coaching para mim: aprender a lidar com o insucesso e com a desilusão.
Em geral, foi uma experiência enriquecedora e acho que a única coisa que pode ser complicada é o processo de nos tornarmos independentes do coaching. Algo que é facilitado aplicando o que se aprendeu com a Marta." Nuno Lopes

 

O Nuno atreveu-se e divertiu-se. E tu? estás á espera de quê?

Pág. 3/3