Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

A Farmácida de Nasrudin

 

Nasrudin estava desempregado. Perguntou, então, a alguns amigos que tipo de profissão deveria seguir. 

 

"Bem, Nasrudin" disseram, "como conheces bem as propriedades medicinais das ervas, podias abrir uma farmácia."

 

Nasrudin foi para casa, pensou e disse para si mesmo: "Sim, acho que é uma boa ideia. Acho que sou capaz de fazer isso, mas não abrirei apenas uma farmácia, o meu negócio vai ser algo grandioso e que cause um forte impacto.”

 

Comprou uma loja, instalou prateleiras e armários e quando chegou o momento de pintar a fachada, montou um andaime, cobriu-o com chapas e trabalhou atrás delas. Não deixou que ninguém visse o nome que daria à farmácia ou como a fachada estava a ser pintada.

 

Depois de vários dias de trabalho, distribuiu folhetos que diziam: "Grande inauguração, amanhã às nove horas".

 

Todos da sua aldeia e das aldeias vizinhas vieram e ficaram em frente à nova loja à espera das novidades. Às nove horas, Nasrudin apareceu, retirou a placa da frente e lá estava um enorme cartaz onde se lia: "Farmácia Cósmica e Galáctica de Nasrudin" e abaixo estava escrito: "Influenciada e harmonizada com influências planetárias".

 

Muitos ficaram impressionados e e Nasrudin fez um ótimo negócio naquele dia. Ao anoitecer, um professor local aproximou-se dele e disse-lhe: "Francamente, essas afirmações são um pouco duvidosas".

 

"Não, não", respondeu Nasrudin, "cada alegação que faço sobre a  influência planetária é absolutamente correcta. Quando o sol se levanta, abro a farmácia e quando o sol se põe, eu fecho."

Extraído da obra: "Sufismo como Terapia"
De Omar Ali-Shah, - Edições Dervish, - Rio de Janeiro