Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Relacionamentos

 

E existem aqueles dias em que ele olha para ela e sente saudades daquilo que foram. Sente saudades daquilo que recebia esquecendo-se de que parou de dar. E então em silêncio ela olha para ele e não reconhece quem tem ao seu lado. Não se recorda da ultima vez em que estiveram realmente juntos. Não se recorda da ultima vez que foram o complemento um do outro. Perderam-se. Perderam-se algures entre as rotinas e as vontades dos outros e deles próprios. Pararam de ser para estar. Pararam de receber e dar.

 

Encolhem os ombros numa indiferença acusatória. São poucos. São muito poucos aqueles que assumem uma responsabilidade e se inibem de culpar. São poucos. São muito poucos aqueles que heroicamente pretendem avaliar/analisar aquilo que se passa. O medo, o medo de olharmos para o que falhou é superior á vontade de resolução. E assim continuamos dormentes num sentir e adormecidos de sonhos.

 

Não são as relações que falham, são as pessoas que se esquecem de as alimentar. E tu quando foi a ultima vez que alimentaste a tua relação?

 

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.