Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Noticias em forma de Post

Hoje dia 14 de Outubro de 2013 o mundo gira ao som das notícias que informam que o número de mortos na ponte na Índia se estima em 109, o prémio Nobel da economia é hoje dado em Estocolmo e os Estados Unidos continuam num impasse. Lá por fora o papa continua a surpreender e a encantar, Bridget Jones regressa, em livro, com dois filhos, viuva mas com o mesmo drama com os homens, Charlene do Mónaco brilha em evento dedicado á moda e Daniela Mercury e Malu Verçosa casaram-se

 

Cá por dentro os pensionistas vão sofrer mais uns cortes, gasolina e gasóleo devem ficar mais caros durante esta semana, Sócrates continua feliz, contente e muito compenetrado como comentador na estação pública de televisão e segundo consta o nosso primeiro está cada vez mais autista. Cá por dentro Catarina Furtado prepara-se para a moda Lisboa, o campeonato de surf tem estado á espera das ondas e o canal sic caras pretende ser um canal novo e empolgante.

 

Cá por casa os convites e as noticias sucedem-se a um ritmo empolgante. Aos olhos dos outros é tudo uma questão de sorte aos meus olhos é tudo uma questão de empenho e de atrevimento. Cá por casa a filha mais nova anda de muletas, a do meio vai á Letónia e o mais velho só descobriu que a mãe está nos especialistas da sapo mulher este fim de semana. Entre mediação familiar e família ainda deu para dar um salto ao campeonato de surf no supertubos, na ausência das ondas valeu-nos o ambiente. Cá por casa continuo a defender o direito á diferença e á mudança até porque cá por casa somos a favor dos que se assumem num ser e num estar muito próprios.

 

Eu? Continuo assim muito mãe, muito mulher mas sobretudo eu mesma.

Um dia

(Imagem retirada da net) 

 

Sonho com uma casa térrea de um branco tão puro que me faz lembrar a paz personalizada. Para as portas e janelas escolho o azul do mar de que gosto tanto. Na varanda de madeira castanho-escuro tenho uma mesa e umas cadeiras de verga onde me vejo nos meus momentos de lazer.

 

Olho em frente e vejo o mar. Acredito que existam dias que pareça zangado, que o azul nem sempre seja o azul ideal e se transforme em tons esverdeados. As ondas oscilam ente o calmo e o revolto quase como em fúria. O Céu pinta-se de branco com nuvens que vão mudando de forma.

 

Gosto do cheiro a sal  Aquele cheiro que me guia e que me faz sentir em casa. Gosto do sol tímido no meu rosto. Gosto quando aparece e desaparece como que brincando às escondidas comigo.

 

Gosto da companhia das gaivotas tão puras e barulhentas que só elas sabem ser. Um dia ainda vamos  conversar. Eu conto-lhes o que me vai na alma. Elas contam-me o que fizeram durante o dia.

 

Um dia eu sei que vai ser assim.

 

 

Marta Leal

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

    Arquivo

    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2014
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2013
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2012
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2011
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2010
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D