Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Irreverências No Feminino

By Marta Leal

Cá por casa

Cá por casa costumo  dizer aos meus queridos clientes que devem anotar todas as ideias que têm, que devem aproveitar tudo o que lhes passe pela cabeça e registar. "Um dia vai-vos fazer falta e poder-vos-á fazer sentido". Digo e acredito mesmo até porque eu costumo praticar aquilo que falo. O único senão é que a minha tempestade de ideias surge quase sempre no momento do banho e passado alguns minutos é natural que me esqueça. A ultima decisão tomada é levar caderninho para a casa de banho.

 

Por falar em estratégias ando a ponderar começar a ser eu a cozinhar. Afinal de contas se não tenho jeitinho nenhum para a coisa pode ser que coma menos e os efeitos nefastos não se façam sentir. Percebam que não tem a ver comigo tem a ver com o desperdidico de roupa, apenas com o desperdicio de roupa.

 

Cá por casa na volta não vos deveria contar estas coisas porque afinal de contas deveria ser  um exemplo da perfeição porque coach que é coach não deve falhar.Se calhar podia fazer diferente mas se o fizesse não seria a mesma coisa.

 

Eu? Continuo assim muito mãe, muito mulher e sobretudo eu mesma.

 

 

Cá por casa

 

Cá por casa chega ao verão e as rotinas alteram-se. Entre praia, actividades e novas experiências os filhos saltitam enquanto a mãe se ajusta. A maternidade trouxe-me emoções que serão impossíveis de descrever por palavras, o amadurecimento trouxe-me a certeza de que ser mãe vai muito além do cuidar, desafiar e ensinar. Para mim ser mãe é sobretudo aceitar. Aceitar que os filhos são, querem e têm sonhos e vontades próprias. Ser mãe é aceitar que mais importante que excelentes notas são os valores, os princípios e a felicidade deles. Para mim ser mãe é permitir que sonhem, que avancem, que caiam e que se aprendam a levantar. Porque eu aceito e acredito que os filhos não são nossos, são deles próprios.

 

Hoje falo de futebol até porque aqui estou à vontade. Gosto de futebol, gosto de ver um bom jogo e gosto do ambiente de estádio. À hora do jogo Brasil/Alemanha estava a trabalhar e só me liguei ao mundo já o jogo tinha acabado. O resultado não me espantou até porque o futebol é um jogo onde uns perdem e outros ganham. Como um jogo que é em cada inicio existe sempre 50% de probabilidades de ambas as equipas ganharem.

 

O que me espanta? as reacções posteriores. O transformar heróis em bestas num segundo, a revolta de um povo que por um resultado futebolístico rouba, estraga e incendeia a bandeira que beijava antes do jogo começar. O que me espanta? que se continue a investir milhões num desporto quando existem pessoas a morrer á fome, que o mundo se desequilibre desta forma apenas porque outros valores se levantam.

 

O que me continua a espantar? a maldade gratuita, o deboche maldoso e o elaborar de teorias de conspiração contra aqueles que são diferentes, O que me continua a espantar? Numa altura onde se esperaria que vivêssemos um universalismo temos casa vez mais pequenos mundos xenófobos, racistas e homofóbicos. Como é que eu posso explicar isto de uma forma que o pessoal entenda? Malta, o planeta está por um fio e vocês estão preocupados com a cor do vizinho?

 

Eu? Continuo assim muito mãe, muito mulher mas sobretudo eu mesma.

 

 

 

 

Cá por Casa

 

 

 

 

Cá por casa as solicitações são cada vez maiores e a necessidade de organização idem. Começam-se a fazer escolhas entre coisas que se gostam quando anteriormente se decidia entre o que se gostava e o que não se gostava. Entre família, trabalho e lazer resta um “niquinho” de tempo. Dorme-se pouco, dorme-se muito pouco. Valeram-me os jogos do Benfica que permitiram desmarcações de sessões e de palestras. Ele há males que vêm por bem!!!!

 

Continuo a circular entre o mundo rural e o mundo urbano. Gosto desta diversidade de sentires, de experiencias e de contactos. Tenho o melhor dos dois mundos e por enquanto é assim que vai ser.

 

Cá por casa confundem-me os que assumem compromisso e não cumprem. Sou capaz de dar o que tenho mas não gosto de ter de pedir o que é meu. No entanto, e para que conste se é para pedir, pede-se.

 

O ritmo acelerou tanto que os saltos altos estão a ser substituídos por sapatos mais confortáveis. Os pés revoltaram-se, protestaram e impuseram-se. Chega de horas em bicos de pés, disseram-me eles. E o tom de dor com que me avisaram foi de tal modo eficiente que a entrada em acção foi no dia seguinte. Acreditem, receei que entrassem em qualquer tipo de greve. Negociámos e o acordo está feito embora limitado a um determinado número de acontecimentos. Sim, porque cá por casa a elegância é sempre uma preocupação.

 

Por falar em ritmo acelerado e elegância deixem-me vos dizer que gostei muito da capa da vogue onde o nosso Ronaldo aparece como veio ao mundo. Não fosse o excesso de tratamento facial pelo Photoshop e eu diria delicioso, o atrevimento entenda-se.

 

 

Cá por casa continuo assim muito mãe, muito mulher e sobretudo eu mesma.

És a melhor mãe do mundo e mesmo que eu tivesse outra mãe continuavas a ser a melhor mãe do mundo

Cá por casa desejo a todas as mães um feliz dia. Cá por casa recordo sempre com um sorriso nos lábios outros dias das mães e guardo como frase de eleição a que a minha filha mais nova me costumava dizer "és a melhor mãe do mundo e mesmo que eu tivesse outra mãe continuavas a ser a melhor mãe do mundo".
Não previ ser mãe, não sonhava sequer ter uma família grande  e se querem que vos diga o meu foco estava numa carreira que tinha definido seguir. Há 20 anos engravidei pela primeira vez quando me tinha sido dito que poderia ser difícil ter filhos. A decisão foi fácil. Fui mãe e mandei a carreira esperar um bocadinho. Hoje tenho os filhos e a carreira.
Ser mãe para mim é permitir-lhes ser, fazer com que saibam saber escolher, deixá-los errar, deixá-los tentar, deixá-los cair, deixá-los experienciar e ajudá-los a realizar os sonhos. Influenciá-los pela positiva, motivá-los e inspira-los não apenas por palavras mas sobretudo com acções. Ser mãe para mim é estar cá para eles mas nunca me esquecer de mim. Ser mãe para mim é olhar para os meus três filhos e aceitá-los como são no todo e no particular.
Eu também tenho a melhor mãe do mundo até porque se tivesse tido outra mãe nunca seria quem sou. E tu és ou não a mulher mãe do mundo?

Cá por casa

Cá por casa devo confessar que  me  continua a fazer uma certa confusão os supra-sumos da inteligência. Aqueles que tudo sabem e tudo acertam. Os que nunca erram, os que têm certezas absolutas e que nunca mudam de opinião. Aqueles que julgam e impõe como se a continuidade do planeta dependesse disso. Sempre que me cruzo com alguém assim questiono-me sempre se estou a lidar com pessoas ou com autómatos.

 

Gosto. Gosto daquela ar "nojentinho" a olhar para mim quando do alto dos meus saltos e do meu metro e meio digo toda orgulhosa : Eu choro, eu irrito-me, eu falho, eu mudo de opinião e sabes que mais? É por isso que gosto tanto de mim, sou autêntica numa aprendizagem continua e num crescimento diário.

 

Até porque cá por casa continuo assim muito mãe, muito mulher e cada vez mais eu mesma.

 

 

 

 

 

Coaching

 

O coaching é um processo que tem como objectivo elevar o desempenho pessoal e/ou profissional de uma pessoa ou de um grupo de pessoas. Este processo envolve duas pessoas o coach e o coachee.

 

Este método foi-se desenvolvendo ao longo dos tempos e foi tendo influências das mais diversas áreas do saber como a Psicologia positiva, a terapia gestalt, a psicologia Comportamental, a teoria da inteligência emocional e a Programação Neurolinguistica.

 

Papel do coach

 

O papel do coach é o de fazer perguntas de modo a que o coachee encontre as respostas dentro dele para poder lidar da melhor forma com os desafios pessoais e profissionais. A função de um coach é ajudar o cliente a eliminar os obstáculos internos e a a conseguir expressar todo o seu potencial de modo a poder liderar a sua própria vida.

 

Neste processo é importante deixar de lado julgamentos o que não significa que não se olhe para a realidade para identificar a melhor forma de melhorar atitudes, escolhas e decisões.

 

O coach também vai contribuir para que se estabeleçam metas claras o que vai permitir a elaboração de uma plano de acção eficaz que se paute por resultados mais positivos.

 

No processo de coaching aprender não significa apenas obter mais conhecimento mas principalmente expandir a capacidade de acção para se atingirem os resultados pretendidos.

 

O profissional de coaching também contribui para o estabelecimento de metas mais claras. Isso permite a elaboração de um plano de acção mais eficaz e a obtenção de resultados mais positivos.

 

Os degraus que me levaram ao topo da escada

"Estou convencida que não teria alcançado os degraus que me levariam ao topo da escada onde hoje me sinto realizada ne posso dizer que sou uma pessoa feliz! Nada na vida se consegue sozinho, e eu também não teria conseguido, por isso quero deixar aqui bem expresso o meu obrigado á Marta Leal. Pela sua simpatia, sabedorai e delicadeza ao tratar de assuntos tão delicados, como são o nosso mais profundo ser" Francisca Leite

 

A Franscisca fala-nos de degraus para se chegar ao topo da escada-. E tu sabes quais saão as escadas que queres subir?

 

Porque muitas vezes queremos avançar e não sabemos por onde começar. Porque muitas vezes sentimo-nos demasiado sozinhos para seguirmos em frente.

Como podemos funcionar os dois?  Conta-me o que queres e definimos um plano. Seduz-te? Manda-me um  email a perguntar mais pormenores e não te esqueças de teres um dia fora de série. E, se a tua mente já te está a dizer que pode ser muito caro porque não te atreves e confirmas?

Melhora o teu poder de concentração

Um dos maiores desafios dos nossos dias está em conseguir mantermos o foco. Aqui fica um exercicio que te vai permitir começares a concentrar-te  e a melhorares o teu poder de concentração. Sugiro que o faças em locais diferentes.
1) Senta-te num lugar reservado e onde sabes que não vais ser incomodado(a);
2) Escuta o que ouves na tua (vento, o cão a ladrar, a chuva, ou passos na calçada...);
3) Agora escuta o que ouves no edificio onde estás (a janela a bater, vozes ao longe...);
4) Agora escuta o que ouves na sala onde estás;
5) Agora escuta-te a ti, o teu respirar e  o teu batimento cardiaco.
Focado(a)?

Pergunta aquilo que queres perguntar

 

 

Um consultório prático onde se fala de assuntos comuns, pessoas comuns e vidas comuns. Partilha, pergunta e dá o mote para a crónica seguinte ( martaleal_lifecoach@sapo.pt). A tua partilha nunca será divulgada, a não ser que assim o desejes,  mas o teu desafio e o teu exemplo podem ser o tema da próxima crónica, até porque as tuas experiencias podem ser a motivação de outros.

 

Por aqui continuo muito mãe, muito mulher e muito eu mesma.

Sabes qual é o teu ponto de partida?

"As sessões de coaching foram o ponto de partida, para uma mudança profunda no modo como encaro qualquer problema, aprendi a centrar o meu pensamento nas soluções e a enfrentar os meus medos, alcanço por isso pequenas vitórias diárias, que me transformaram em alguém mais positivo." Zulmira Antunes

 

Por vezes sentimo-nos perdidos, sem rumo e sem saber muito bem para onde ir. Outras vezes estamos bem e queremos mais. Outras ainda precisamos de inspiração e motivação.

 

O coaching ajuda-nos a perceber quem somos e que papel é que queremos desempenhar na nossa vida. Enfrenta os teus medos, livra-te de dependências e eleva a tua auto-estima.

 

Revê a tua vida, encontra-te com quem és, e vive uma vida com significado onde impere a felicidade.